Orquestra do sul acusada de desvio de verba pública quer recursos de trabalhadores do Amazonas

Orquestra do sul acusada de desvio de verba pública quer recursos de trabalhadores do Amazonas

A Orquestra Sinfônica Brasileira – OSB, vive uma via sacra que já completa três quaresmas.

Em 2015, foi investigada pelo Ministério Público Federal, em 2016 teve suas contas reprovadas, e em 2017 sequer realizou Temporada de Eventos.

Embora sediada no Rio de Janeiro, esta tradicional mas desde então desacreditada entidade nacional vem apelando por todos os meios e lugares, alavancar recursos como sempre fez. Além do custo do seu quadro de dirigentes e profissionais, sua credibilidade chegou ao mais baixo nível nesse início de 2018. A soma de seus problemas está tornando a entidade inviável.

A OSB vem respondendo, desde 2012, por diversas sindicâncias e ações por uso indevido de recursos públicos e contas reprovadas pelo MPF, onde já FOI penalizada com a obrigação de devolver R$ 2,3 milhões ao MinC – Ministério da Cultura, referente à parte não executada de um total de R$ 39 milhões captados em recursos do Tesouro Federal. Foi também suspensa do direito de repasse de verba oriunda da lei de incentivos fiscais da Lei Rouanet; e, como pá de cal no seu movimento para sair deste verdadeiro buraco, ficou de fora, pela primeira vez, do circuito cultural de 2017.

No desespero de tentar salvar a si próprios e a própria OSB, os atuais gestores estão promovendo verdadeiro lobby junto ao Ministério Público do Trabalho, que recebeu/receberá 20 milhões de reais correspondente a multa cobrada por danos morais coletivos causados a funcionários da empresa sul-coreana Samsung, sediada no Polo Industrial de Manaus.

Samsung
A fábrica que emprega cerca de 6 mil pessoas e vende produtos para toda a América Latina, foi inspecionada pelo MPT em 2013, gerando ação proposta pela Procuradoria Regional do Trabalho da 11ª Região, com pedido de indenização no valor de R$ 250 milhões por ‘graves’ infrações trabalhistas e danos morais coletivos, conforme notícia divulgada pela ONG Repórter Brasil. Em face desta realidade negativa da OSB e a expectativa de recursos para o setor cultural do Amazonas, a sociedade e o meio artístico e cultura amazonense pleiteiam prioridade no destino da verba, visto que a crise afetou em muito o setor em toda a região norte, e o Rio de Janeiro, apesar dos desmandos, tem muito mais fonte de recursos do que qualquer outro Estado da Federação.

Deixe seu Comentário