MD regional estuda nomes para a disputa eleitoral

Está prevista para esta quarta-feira (24), às 20h, a primeira reunião de dirigentes locais do PPS e do PMN após a fusão que deu origem ao Mobilização Democrática (MD).

Segundo o presidente do diretório estadual do PPS, Guto Rodrigues, será “uma reunião para dar conhecimento interno do que foi acertado com a direção nacional do partido.” Guto também revelou que a nova sigla já trabalha potenciais candidatos para as eleições de 2014.

O vice-prefeito Hissa Abrahão é um dos cotados para disputar o governo, mas ele não foi encontrado para comentar o assunto – foto: divulgação
O vice-prefeito Hissa Abrahão é um dos cotados para disputar o governo, mas ele não foi encontrado para comentar o assunto – foto: divulgação

Entre os cotados estão o vice-prefeito de Manaus, Hissa Abrahão, para governador, e o deputado Luiz Castro, para deputado federal. As sugestões seriam uma orientação do presidente nacional do partido, Roberto Freire. A reunião ocorrerá na sede do PPS localizada na rua Barcelos, Centro.

A fusão das siglas foi sacramentada em nível nacional na semana passada, mas a direção estadual dos partidos precisou aguardar o retorno do vice-prefeito e presidente do diretório municipal, Hissa Abrahão, para dar andamento à fusão no Amazonas.

O vice-prefeito passou quase 20 dias nos Estados Unidos, participando de um encontro de líderes. Ainda de acordo com Guto, a nova sigla está desenvolvendo articulações para um enfrentamento nas eleições de 2014. “O sentido é dado pelo Roberto (Freire). Nos fundimos para ser um partido forte e grande”, frisou.

Ele garantiu que a linha política será construída conjuntamente entre PPS e PMN e assegurou que o partido deverá ter um bom relacionamento com o Rede Sustentabilidade, da ex-senadora Marina Silva, e com PSB, do governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Sobre as eleições locais no próximo ano, Guto assegura que o PPS possui bons nomes para disputa. “Temos a perspectiva de poder, senão não seria partido político, seria grupo filantrópico”, disse.

O deputado estadual do PPS, Luiz Castro, avalia a candidatura de Hissa como uma aspiração natural, mas lembra que a decisão passa pelo próprio partido e por seus aliados, como PSDB, liderado pelo prefeito Arthur Neto. “Não devemos impor uma candidatura, devemos expor uma possibilidade”, observou.

Deixe seu Comentário