Uma jovem senhora com problemas crônicos: Manaus – Por Artur Bisneto

A gestão pública deve se pautar como princípio constitucional pelo interesse público, da coletividade, do cidadão, como boa administradora do erário, constituído pelo pagamento de tributos impostos ao cidadão. Deveria ser essa a conduta do agente público, no estado democrático de direito, como o que constitucionalmente estamos vivendo desde a Constituição de 88.

Na prática, há um abismo entre o preceito constitucional, ético e moral da práxis reinante nas diversas esferas administrativas em nosso Estado, infelizmente, fruto de uma cultura da política brasileira que vem desde o Império e que adquiriu uma velocidade de ano luz a partir da administração do PT em nível federal e de seus aliados nos outros entes da federação. Aliançados em torno desse verdadeiro regime de “corruPTcracia” vigente no país. A cada gesto, a cada iniciativa, tem sempre uma suspeita de maracutaia, de interesses inconfessáveis, de oportunidade de assalto aos cofres públicos, tem toda razão o deputado federal Romário (PSB-RJ) quando afirma que a Copa de 2014 se transformará no maior assalto aos cofres públicos da história da República.

Artur Bisneto - Deputado Estadual e presidente regional do PSDB no Amazonas.

O PSDB no Amazonas está se preparando para apresentar nossas propostas de um governo tucano para a nossa cidade de Manaus, uma jovem senhora já com problemas crônicos, que superam suas capitais co-irmãs já muito mais envelhecidas, uma capital que embora concentre mais de 90% da economia de todo o Estado e abrigue quase 2 milhões dos 3,4 milhões de amazonenses, ainda é tratada pela administração pública, com um pensamento estratégico voltado exclusivamente para as “licitações”.

A questão do abastecimento da água, colocada em pauta com tanta veemência por alguns protagonistas, revive uma preocupação quem tem seu histórico num escalabroso processo de festival de “investimentos e endividamento” para o cidadão pagar que tem seu marco histórico com o 70 milhões de dólares enterrados na Bola do Coroado, tem continuidade no famigerado capítulo da privatização e está sendo revigorado pela troca de adjetivos, se verdadeiros ou não, na base da “picaretagem política”, entre ex-futuros aliados, filme antigo onde o que prevaleceu foram às fortunas em licitações a merecer uma boa atenção do programa Fantástico da Rede Globo. A falta da água que é o verdadeiro interesse público prevaleceu intacta durante todos esses anos e administrações.Essa questão da água, que me parece muito mais uma disputa de ponto de drogas entre quadrilhas rivais nos morros do Rio de Janeiro, a julgar o linguajar que pauta essa discussão, no mínimo levanta muita suspeita sobre suas verdadeiras intenções. O transporte público repete a velha ladainha decorada das mesmas promessas fantasiosas desde o Metrô de Superfície até o Monotrilho da atualidade e a realidade é que o transporte público continua um caos, num transito que acumula problemas comparáveis às grandes metrópoles do país.

É nesse quadro de irresponsabilidade com a coisa pública que o PSDB apresentará suas propostas para a cidade de Manaus, do jeito tucano de governar, nós não buscamos cargos (nome político que se dá a grupos de assaltantes de cofres públicos da atualidade) buscamos eficiência na gestão pública para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Deixe seu Comentário