Um sinal chamado juventude – Por Dom Moacyr

Um sinal com dimensão libertadora, neste Ano da Fé e do cinquentenário do Concilio Vaticano II: jovens do mundo inteiro reunidos numa grande Jornada na acolhedora cidade do Rio de Janeiro que se transforma na capital mundial da juventude (23-38/7/2013).

Dom Moacyr Grechi - Arcebispo Emérito de Porto Velho
Dom Moacyr Grechi – Arcebispo Emérito de Porto Velho

Diante de tantos sinais de indignação, manifestações, operações de combate à corrupção, a crescente participação dos jovens expressa claramente um processo de mudançasem seucotidiano. Este sinal chamado juventude motiva-nos a apoiar o protagonismo dos jovens neste momento em que o processo democrático se fortalece, a partir de uma ética social transformadora: “Jovens, jogai a vida por grandes ideais!” este foi o convite do papa Francisco aos jovens no dia 28 de abril. “Permanecei firmes no caminho da fé, com segura esperança no Senhor. Aqui está o segredo do nosso caminho. Ele dá-nos a coragem de ir contra a corrente. Sim, jovens; ouvistes bem: ir contra a corrente. Isto fortalece o coração, já que ir contra a corrente requer coragem e Ele dá-nos esta coragem. Não há dificuldades, tribulações, incompreensões que possam meter-nos medo, se permanecermos unidos a Deus como os ramos estão unidos à videira, se não perdermos a amizade com Ele, se lhe dermos cada vez mais espaço na nossa vida”. “Não fomos escolhidos pelo Senhor para coisinhas pequenas, ide sempre mais além, rumo às coisas grandes. Jovens, jogai a vida por grandes ideais”!

A Jornada Mundial da Juventude não é apenas uma onda juvenil, oferece aos jovens uma experiência viva de fé e comunhão, ajudando-os a enfrentar as questões profundas da vida para que assumam com responsabilidade o seu lugar na sociedade e na comunidade eclesial.

Criador e idealizador da JMJ, João Paulo II assim definiu a finalidade das Jornadas dos jovens: “O principal objetivo das Jornadas é fazer a pessoa de Jesus o centro da fé e da vida de cada jovem para que Ele possa ser seu ponto de referência constante e também a inspiração para cada iniciativa e compromisso para a educação das novas gerações”.

Em sua mensagem aos Jovens (1997), ele manifestou sua alegria por se reunir aos jovens em Paris, na jornada mundial: Seguindo a Cruz do Ano Santo, o povo das jovens gerações que acreditam em Cristo tornar-se-á mais uma vez o ícone vivo da Igreja peregrina pelas estradas do mundo e, nos encontros de oração e de reflexão, no diálogo que une para lá das diferenças de língua e de raça, na partilha dos ideais, dos problemas e das esperanças, fará uma experiência viva da realidade prometida por Jesus: “Onde estão dois ou três reunidos em Meu nome, Eu estou no meio deles”(Mt 18,20).

Convocando os jovens a assumirem iniciativas concretas de solidariedade e de partilha ao lado e com os mais pobres e a participarem de projetos concretos de partilha e fraternidade, Joao Paulo II lembrou que Jesus vive ao nosso lado, nos irmãos com quem partilhamos a existência cotidiana: “O Seu rosto é aquele dos mais pobres, dos marginais, vítimas geralmente de um injusto modelo de desenvolvimento que põe o lucro em primeiro lugar e faz do homem um meio em vez de um fim. A casa de Jesus está aí em todo o sítio onde um homem sofre pelos seus direitos negados, pelas suas esperanças traídas, pelas suas angustias ignoradas. Aí, entre os homens, está a casa de Cristo, que vos pede para enxugar, em seu nome, cada lágrima e de recordar a quem se sente só que ninguém está só se puser n’Ele a sua própria esperança (Mt 25,31-46).

Ao chegar à Espanha para a Jornada Mundial de Madri (2011), Bento XVI disse: Venho aqui para me encontrar com milhares de jovens de todo o mundo, interessados por Cristo ou à procura da verdade que dê sentido genuíno à sua existência. Não guardeis Cristo para vós mesmos. Comunicai aos outros a alegria da vossa fé. O mundo necessita do testemunho da vossa fé; necessita, sem dúvida, de Deus. Penso que a vossa presença aqui, jovens vindos dos cinco continentes, é uma prova maravilhosa da fecundidade do mandato de Cristo à Igreja: “Ide pelo mundo inteiro, proclamai o Evangelho a toda a criatura” (Mc 16,15).

Em outubro de 2012, Bento XVI escreveu aos jovens a sua Mensagem para a 28ª Jornada Mundial da Juventude do Rio, dividida em oito pontos:

1.  Uma chamada urgente: Queridos jovens, vós sois os primeiros missionários no meio dos jovens da vossa idade! Estamos passando por um período histórico muito particular: o progresso técnico nos deu oportunidades inéditas de interação entre os homens e entre os povos, mas a globalização destas relações só será positiva e fará crescer o mundo em humanidade se estiver fundada não sobre o materialismo, mas sobre o amor, a única realidade capaz de encher o coração de cada um e unir as pessoas. Deus é amor. O homem que esquece Deus fica sem esperança e se torna incapaz de amar seu semelhante. Por isso é urgente testemunhar a presença de Deus para que todos possam experimentá-la.]

2. Tornai-vos discípulos de Cristo: O compromisso missionário é uma dimensão essencial da fé: não se crê verdadeiramente, se não se evangeliza. E o anúncio do Evangelho não pode ser senão consequência da alegria de ter encontrado Cristo e ter descoberto nele a rocha sobre a qual construir a própria existência.

Ide!Jesus enviou seus discípulos em missão com este mandato: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura”! (Mc 16,15-16). Evangelizar significa levar aos outros a Boa Nova da salvação e esta Boa Nova é uma pessoa: Jesus Cristo. Quando O encontro, quando descubro até que ponto sou amado por Deus e salvo por Ele, nasce em mim não apenas o desejo, mas a necessidade de fazê-lo conhecido pelos demais. É o Espírito que nos impulsiona a fazer o bem, servindo os outros com o dom de nós mesmos. Depois, através do sacramento da Confirmação, somos fortalecidos pelos seus dons, para testemunhar de modo sempre mais maduro o Evangelho. Assim, o Espírito de amor é a alma da missão: Ele nos impele a sair de nós mesmos para ir e evangelizar.

Alcançai todos os povos: Queridos amigos, estendei o olhar e vede ao vosso redor: tantos jovens perderam o sentido da sua existência.

3. Ide! Cristo precisa de também de vós. Deixai-vos envolver pelo seu amor, sede instrumentos desse amor imenso, para que alcance a todos.

Fazei discípulos! O anúncio de Cristo não passa somente através das palavras, mas deve envolver toda a vida e traduzir-se em gestos de amor. A ação de evangelizar nasce do amor que Cristo infundiu em nós; por isso, o nosso amor deve conformar-se sempre mais ao d’Ele. Não tenhais medo de propor aos jovens da vossa idade o encontro com Cristo. Invocai o Espírito Santo: Ele vos guiará para entrardes sempre mais no conhecimento e no amor de Cristo, e vos tornará criativos na transmissão do Evangelho.

Firmes na fé: Quando vos sentirdes inadequados, incapazes e frágeis para anunciar e testemunhar a fé, não tenhais medo. A evangelização não é uma iniciativa nossa nem depende primariamente dos nossos talentos, mas é uma resposta confiante e obediente à chamada de Deus, e, portanto não se baseia sobre a nossa força, mas na d’Ele.

Com toda a Igreja: Ninguém pode ser testemunha do Evangelho sozinho. Jesus enviou em missão os seus discípulos juntos: o mandato “fazei discípulos” é formulado no plural. Assim, é sempre como membros da comunidade cristã que prestamos o nosso testemunho, e a nossa missão torna-se fecunda pela comunhão que vivemos na Igreja: seremos reconhecidos como discípulos de Cristo pela unidade e o amor que tivermos uns com os outros (Jo 13,35).

“Aqui estou, Senhor”!Queridos jovens, quero convidar-vos a escutar no íntimo de vós mesmos a chamada de Jesus para anunciar o seu Evangelho. Como mostra a grande estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, o seu coração está aberto para amar a todos sem distinção, e seus braços estendidos para alcançar a cada um. Sede vós o coração e os braços de Jesus. Ide testemunhar o seu amor, sede os novos missionários animados pelo seu amor e acolhimento.

Animados pelas palavras de Bento XVI e acolhendo o papa Francisco em nosso meio, participemos com os jovens do mundo inteiro, nos próximos dias, de todas as etapas da JMJ: as cerimônias principais presididas pelo Papa, o programa cultural e os momentos de catequese. Bispos do Brasil e de todo o mundo vão se encontrar com os jovens da Jornada Mundial da Juventude, inclusive Dom Esmeraldo é um dos convidados para falar e ouvir os jovens sobre a experiência missionaria na Amazônia.

 

Deixe seu Comentário