Tudo pronto para a posse do prefeito Arthur Neto, vice e vereadores

Tudo pronto para a posse do prefeito Arthur Neto, vice e vereadores

Aos 71 anos de idade, o diplomata Arthur Virgílio Neto, do PSDB, se prepara para assumir seu terceiro mandato (o segundo consecutivo) à frente da Prefeitura de Manaus. Neste domingo (1º), em cerimônia solene, com início para às 16h no Teatro Amazonas, ele e seu vice, o ex-deputado federal Marcos Rotta (PMDB), assinarão o termo de posse sob os olhos dos convidados e imprensa. Antes, porém, os 41 vereadores eleitos e reeleitos, também serão empossados, em sessão especial no Teatro, conduzida pelo presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Wilker Barreto (PHS).

O cerimonial do Legislativo municipal, responsável pelo evento, informou que a solenidade contará com a presença dos familiares dos 41 vereadores, entre reeleitos e novatos, e das autoridades do Estado.

Durante o evento, Wilker Barreto vai chamar todos os vereadores, que irão tomar posse e, em seguida, para fazer o juramento. Em seguida, a solenidade será suspensa por alguns minutos. Na abertura dos trabalhos, a mesa de autoridades será composta para dar prosseguimento ao evento de posse do prefeito e vice-prefeito.

“O evento terá presença das autoridades do Estado, deputados estaduais, deputados federais, senadores e secretários municipais”, adiantou o cerimonial.
De acordo com a diretora de cerimonial da CMM, Ieda Frota, a solenidade de posse terá três momentos: o primeiro, com a posse dos 41 vereadores; o segundo, será a do prefeito reeleito Arthur Neto e do vice, Marcos Rotta. Num terceiro momento, os parlamentares seguirão para a casa legislativa, onde será aberta uma sessão para a escolha do novo presidente da Câmara para o biênio 2017/2018.

Há a expectativa, ainda, que ao término da cerimônia, o prefeito Arthur Neto anuncie seu secretariado, se haverá trocas de secretários ou se manterá o atual corpo do segundo e terceiro escalão. Durante todo o mês de dezembro de 2016, houve inúmeras especulações em torno de nomes, mas nenhum confirmado ou negado pelo gestor.

Eleição na Câmara

A disputa para a cadeira da presidência da Câmara esquenta nesta reta final e os bastidores indicam que Wilker deve ser eleito para conduzir a casa no próximo biênio 2017-2018. O futuro presidente terá um orçamento de R$ 123 milhões para trabalhar em 2017. Wilker fez um encontro na última quinta-feira para definir provisoriamente os nomes dos parlamentares que integrarão a futura mesa diretora, no entanto, o vereador informou que os nomes podem sofrer mudança.

Entre os que compõem a nova chapa estão os vereadores Felipe Souza (PTN), Reizo Castelo Branco (PTB), Fred Mota (PR), Glória Carrate (PRP), Missionário André (PTC), Isaac Tayah (PSDC), Carlos Portta (PSB), Ewerton Wanderley (PPL) e o Diego Afonso (PDT).

Sobre a composição da chapa que vai disputar a mesa diretora, Wilker destacou que a intenção foi aglutinar o maior número de partidos que fazem parte da aliança do prefeito. Entretanto, nessa nova composição, o vereador do PMDB, Marcel Alexandre, que no último dia 20 de dezembro havia informado que iria compor a chapa de Barreto como vice-presidente, ficou de fora.

Por telefone, Marcel Alexandre informou que tudo são ensaios, que não tem nada definido. Segundo ele, nos bastidores comenta-se, inclusive, que deverá assumir o posto de líder do prefeito na Câmara.

“Fiquei até constrangido quando cheguei na reunião e os meus pares começaram me aclamar como líder. Mas não tem nada definido. Vou ter uma conversa com meu líder partidário, senador Eduardo Braga para verificar como vai ficar essa situação”.

Disputa deve ter duas chapas

Entrando na briga pela cadeira da presidência, o vereador eleito Chico Preto (PMN) confirmou na última quinta-feira que vai disputar com a chapa do vereador Wilker Barreto. Nos últimos dias, ele tem conversado com eleitos e reeleitos para apresentar sua proposta de campanha. Na opinião de Chico Preto a atual administração não corresponde aos anseios da população e o processo de renovação é necessário para o parlamento.

Ele criticou a forma com que os vereadores vêm mantendo o funcionamento do Legislativo. Segundo o parlamentar, o momento é de aproximar a Câmara da população e dos vereadores tomarem as rédeas do Parlamento, acabando com o perfil subserviente ao Executivo. “É hora de os vereadores escreverem uma nova página no livro do Poder Legislativo municipal. Temos que ser exemplo e votar por convicção em quem irá gerir a nossa casa e não apenas por ‘devoção’ ou porque o prefeito de plantão determinou”, declarou Chico Preto.

Um dos nomes que poderiam vir para disputa, declarando oposição a Arthur Neto, o vereador Marcelo Serafim (PSB) disse que não tem interesse pela cadeira da presidência. O parlamentar informou que deverá ter uma conversa com os possíveis nomes para definir quem poderá apoiar. Marcelo Serafim não descartou a possibilidade de apoiar a chapa de Wilker Barreto.

“Eu não tenho a vaidade de ser presidente e entendo que, o que a casa tem que discutir é a exis-tência de uma presidência democrática. Vejo, que o Wilker fez um bom mandato como presidente, vamos ter uma conversa com os vereadores do PSB para não termos divisão”, disse.

Hiram Nicolau (PSD), que brigava pela presidência do Legislativo, informou que não vai disputar a eleição da Câmara.

 

Matéria: Henderson Martins
Com informações do Jornal EM TEMPO

Deixe seu Comentário