Arquivo da tag: Disputa

Pabllo Vittar concorre a mulher mais sexy do Brasil; Thammy Miranda a homem mais sexy, Oi?????

Algo de errado não está certo: o cantor Pabllo Vittar está na disputa que vai eleger a mulher mais sexy do Brasil na “Istoé Gente”. Ele disputa o posto com mulheres como Anitta, Bruna Marquezine, Paolla Oliveira, Marina Ruy Barbosa, Juliana Paes, Deborah Secco e Sabrina Sato. Até o inicio da tarde do domingo, dia 4, Pabllo estava em 11º – na frente de Sabrina Sato, Deborah Secco e Fernanda Lima ; Paola, Marquezine e Lívia Andrade lideram o ranking.

Em compensação, na lista masculina, Thammy Miranda, filho transgênero da Gretchen, disputa o título de homem mais sexy do Brasil com gente como Caio Castro, Cauã Reymond e Chad Suey. Thammy estava em 15º no ranking liderado por Carlinhos Maia, Jonas Suzlbach e Caio Castro, mas na frente, por exemplo, do jogador Neymar Júnior.

Pabblo Vittar agora foi longe demais. Alguém explica?

 

Com informações do MBL News

Russomanno tem 35%, Serra, 21%, e Haddad, 15%, diz Datafolha em SP

Pesquisa mostra que tucano se isolou na disputa pelo 2º lugar.
Margem de erro agora é de 2 pontos percentuais.

O Datafolha divulgou, nesta quinta-feira (20), uma nova pesquisa de intenção de voto sobre a disputa pela Prefeitura de São Paulo neste ano.

A pesquisa foi publicada pelo jornal “Folha de S.Paulo”.

Em relação à pesquisa anterior, Russomanno foi de 32% para 35%, Serra, de 20% para 21%, e Haddad, de 17% para 15%. O tucano se isolou no 2º lugar.

Russomanno

Celso Russomanno (PRB) – 35% das intenções de voto
José Serra (PSDB) – 21%
Fernando Haddad (PT) – 15%
Gabriel Chalita (PMDB) – 8%
Soninha (PPS) – 4%
Paulinho da Força (PDT) – 1%
Carlos Giannazi (PSOL) – 1%
Ana Luiza (PSU) – 1%
Em branco/nulo – 8%
Não sabe – 5%

Os candidatos Levy Fidelix (PRTB), Anaí Caproni (PCO), Eymael (PSDC) e Miguel (PPL) foram citados mas não atingiram 1%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 18 e 19 de setembro. Foram entrevistadas 1.802 pessoas na cidade de São Paulo. A margem de erro agora é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP), sob o número SP-00961/2012.

Pesquisas anteriores
A primeira pesquisa do Datafolha foi divulgada em 21 de julho e registrou os seguintes resultados: José Serra com 30%; Celso Russomanno (26%); Fernando Haddad e Soninha (7%); Gabriel Chalita (6%); Paulinho da Força (5%); Ana Luiza (1%); Carlos Giannazi (1%); Levy Fidelix (1%), Miguel, Eymael e Anaí Caproni não pontuaram.

Na segunda pesquisa, divulgada em 21 de agosto, o resultado foi: Celso Russomanno (31%), José Serra (27%), Fernando Haddad (8%), Gabriel Chalita (6%), Soninha (5%), Paulinho da Força (4%), Ana Luiza (1%) e Carlos Giannazi, Levy Fidelix, Miguel, Eymael e Anaí Caproni não pontuaram.

Na terceira pesquisa, divulgada em 31 de agosto, o resultado foi: Celso Russomanno (31%), José Serra (22%), Fernando Haddad (14%), Gabriel Chalita (7%), Soninha (4%), Paulinho da Força (2%) e Ana Luiza(1%) e Carlos Giannazi (1%). Miguel, Eymael, Anaí Caproni e Levy Fidelix não pontuaram.

Na quarta pesquisa, divulgada em 5 de setembro, o resultado foi: Celso Russomanno (35%), José Serra (21%), Fernando Haddad (16%), Gabriel Chalita (7%), Soninha (5%), Paulinho da Força (1%). A intenção de voto nos demais candidatos e o número de eleitores que declararam voto branco ou nulo ou não responderam não foram divulgados.

Na quinta pesquisa, divulgada em 12 de setembro, o resultado foi: Celso Russomanno (32%), José Serra (20%), Fernando Haddad (17%), Gabriel Chalita (8%), Soninha (5%), Paulinho da Força (1%) e Carlos Giannazi (1%). Os candidatos Levy Fidelix (PRTB), Anaí Caproni (PCO), Eymael (PSDC), Miguel (PPL) e Ana Luiza (PSTU) foram citados mas não atingiram 1%.

Segundo turno
O Datafolha também simulou o segundo turno com os nomes dos três primeiros colocados na pesquisa. Russomanno venceria se disputasse contra Serra ou Haddad, e Haddad venceria Serra. Os resultados dos três cenários foram:

– Russomanno 57% x 31% Serra
– Russomanno 55% x 30% Haddad
– Haddad 44% x 40% Serra

Rejeição
O Datafolha perguntou ainda em quem os entrevistados não votariam de jeito nenhum. Serra foi o mais citado, com índice de rejeição de 44%. Haddad e Paulinho da Força têm 23%, Soninha, 20%; Russomanno, 19%, e Chalita, 12%.

Fonte: G1.globo.com

Mais um debate: Mais um duelo entre Artur Neto e Vanessa

Os debates múltiplos podem esquentar o processo eleitoral. Pelo menos no debate de hoje à tarde na faculdade Ciesa,  o debate colocou frente a frente Artur e Vanessa guerreando entre si. Vanessa voltou a acusar o PSDB de Artur de ser contra a Zona Franca. Artur foi novamente devastador. “Em parte quem tem culpa pelos 26 mil demitidos na Zona Franca e a saída das fábricas de tablets de Manaus é a senadora que não tem prestígio em Manaus e calou diante das ameaças”. Se os debates continuarem assim, a temperatura da eleição pode subir e se tornar caliente.

 Fonte: Blog da Floresta

Após 4 anos, 45 vereadores disputam a reeleição mais ricos

Em levantamento feito pelo GLOBO, ex-prefeito Cesar Maia declara não ter patrimônio.

Quarenta e cinco dos 51 vereadores do Rio tentarão a reeleição este ano e farão campanha mais ricos do que em 2008, segundo levantamento feito pelo GLOBO . Naquele ano, seus bens somavam R$ 19,2 milhões, contra R$ 26,7 milhões agora, uma evolução de 39%. Doze deles pelo menos dobraram o patrimônio nestes últimos quatro anos. A consulta aos registros de candidaturas mostra ainda que o ex-prefeito Cesar Maia (DEM), que concorre a uma vaga de vereador, não tem qualquer bem em seu nome.

Duas vereadoras que disputam a reeleição, Carminha Jerominho (PTdoB) e Nereide Pedregal (PDT), declararam na eleição passada não ter patrimônio, mas hoje seus bens somam R$ 460,4 mil e R$ 89,8 mil, respectivamente. Há ainda outros três vereadores cuja evolução patrimonial beira os 90%.

Ex-prefeito Cesar Maia declara não ter patrimônio

— Tudo o que eu tenho foi com muito suor. Estava afastada das minhas funções como vereadora. Eu já era dentista, corri atrás, trabalhei — disse a vereadora do PTdoB, filha do ex-vereador Jerônimo Guimarães, o Jerominho, condenado por chefiar milícias na Zona Oeste.

Ela teve o mandato cassado em junho de 2009. Em fevereiro deste ano, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) aprovou a volta de Carminha à Câmara.

O vereador que, percentualmente, mais aumentou o patrimônio é o petista Reimont. Os bens do parlamentar não passavam de R$ 18 mil em 2008, quando tinha apenas um automóvel. Agora, o patrimônio do parlamentar já chega a R$ 427,3 mil, com um apartamento avaliado em R$ 265 mil. Quem também dobrou o patrimônio foi o presidente da Câmara dos Vereadores, Jorge Felippe (PMDB), cujos bens passaram de R$ 169 mil para R$ 387,2 mil. O vereador mais rico, Jorge Pereira (PTdoB), tem patrimônio de R$ 4,2 milhões, que inclui nove imóveis e sete veículos. Já o mais pobre é Jorginho da SOS (PMDB), o único a se declarar sem bens.

Se alguns conseguiram aumentar o pé de meia com o salário de R$ 15 mil de vereador, cinco empobreceram no cargo: Paulo Messina (PV), Rubens Andrade (PSB), Carlinhos Mecânico (PSD), além de Eliomar Coelho e Paulo Pinheiro, ambos do PSOL. Na última eleição, Messina informou ter patrimônio avaliado em R$ 994,7 mil. Este ano, apresentou bens nos valores de R$ 319,3 mil. A diferença ocorre, principalmente, por conta de um apartamento de R$ 750 mil que constava na declaração de 2008 e não aparece no Imposto de Renda do ano passado.

Onze vereadores informaram guardar dinheiro em espécie. A soma dos valores chega a quase R$ 1 milhão. Dr. Fernando Moraes (PMDB), que quase dobrou seu patrimônio em quatro anos, foi o parlamentar que mais declarou ter dinheiro “no colchão”: R$ 334, 5 mil. Vereadora que integra a lista daqueles que dobraram o patrimônio, Patrícia Amorim (PMDB), presidente do Flamengo, afirmou ter em caixa R$ 215 mil. Cristiane Brasil (PTB), filha do ex-deputado federal e delator do mensalão, Roberto Jefferson, tem R$ 74 mil em dinheiro vivo.

Cesar Maia explicou que não tem mais bens porque passou, gradativamente, seu patrimônio para o nome de parentes. Isso aconteceu, segundo ele, nos últimos sete anos, quando começou a ter problemas de saúde.

— Normalmente, os executivos que têm patrimônio, aos 65 anos, repassam os bens a seus filhos, esposa e netos. Como minha saúde não era perfeita, comecei a transferir os bens com 60 anos de idade e completei a transferência com 65 anos. É mais prático que testamento — disse o candidato, hoje com 67 anos.

Dois apartamentos em São Conrado, além de escritórios na Barra e em Botafogo, foram parar no nome de parentes do ex-prefeito, principalmente dos filhos, Daniela e Rodrigo Maia (DEM), que disputa a prefeitura do Rio. Rodrigo declarou ao TRE-RJ neste ano bens no valor de R$ 739.544,58. Na campanha de 2000, Cesar declarou que seu patrimônio estava avaliado em R$ 1.043.568,82. Em 2004, quando foi reeleito, o ex-prefeito informou ter um patrimônio de R$ 1,7 milhão. Quando tentou uma vaga no Senado, em 2010, Cesar apresentou declaração de Imposto de Renda no valor de R$ 73 mil, com participação em duas empresas e duas aplicações em renda fixa.

Em 1998, ano em que foi eleito governador do Rio, o hoje deputado federal Anthony Garotinho (PR) foi alvo dos adversários por ter declarado patrimônio de R$ 18 em 1996. No ano seguinte, passou para zero. Garotinho e Cesar são aliados na eleição deste ano.

Fonte: Oglobo.globo.com

“Na pior das hipóteses, se chegar a hora da eleição, eu disputo”, diz Artur Neto

Prestes a fixar residência novamente no Brasil, o diplomata Artur Neto (PSDB) promete intensificar as conversas que vão decidir os rumos dos tucanos nas eleições deste ano em Manaus.

Prestes a fixar residência novamente no Brasil, após finalizar missão diplomática em Portugal, o diplomata Artur Neto (PSDB) promete intensificar as conversas que vão decidir os rumos dos tucanos nas eleições deste ano em Manaus.

Na entrevista a seguir, Artur Neto afirma que o partido tem encaminhado suas alianças sem agonia, assim como o governador Omar Aziz (PSD) e o senador Eduardo Braga (PMDB) tem agido no grupo que participam.

Artur Virgílio Neto é Diplomata e foi líder do PSDB no senado

O ex-senador garante que se importa mais em estar ao lado de um bom projeto para Manaus do que propriamente ser o candidato. Ao falar de seu desafeto político – Eduardo Braga, agora líder do Governo no Senado, Artur Neto aconselha: “Se eu fosse ele, me dedicaria. Porque o lugar onde ele está não é a Disneylândia, não é”.

Como o PSDB se prepara para a eleição deste ano?

Há um anseio muito grande no meu partido por candidatura própria. Mas acho que, agora, chegamos ao clima ideal. Porque havia muita especulação: é fulano, beltrano. Isso, graças a Deus parou. Digo graças a Deus mesmo porque era uma coisa que não ajudava. Não contribuía. Se dedicava mais à precipitação daqui e de acolá sem acrescentar para a luta que o partido vai travar. Nós (o PSDB) temos que analisar. A tendência é o partido lançar candidatura própria, mas temos que analisar se é isso mesmo ou se vamos coligar. E com quem. Vamos ver o que é mais conveniente.

Quais seriam os nomes do PSDB nessa disputa?

Penso muito pouco em pessoas e mais em programa para Manaus. O candidato a ser apoiado, do partido ou de fora dele, tem que apresentar um programa para a cidade. Tem que ser mais que a vontade de ser candidato, se tornar conhecido e crescer para outras eleições. Tem que ser muito claro em relação aos problemas que a cidade vive. Prefiro dizer que vou apoiar mais um programa do que propriamente um candidato. Estou cansado de apoiar nomes.

Não percebemos muita movimentação no PSDB. As conversas dentro do partido estão atrasadas?

Vamos lá: O PSD, do governador Omar Aziz, não se manifestou de maneira concreta. O PMDB, do ex-governador Braga, não se manifestou de maneira concreta. Há muita especulação, muitas pessoas se ensaiam, e é natural que elas façam isso. Mas, diante do cenário, entendemos que estamos dentro do timing correto.  Nós podemos ter ainda algum tempo para caminhar, maturar, elaborar projetos e nos prepararmos para discussões em que o PSDB seria apoiado ou apoiaria. Dentro de uma proposta realmente séria para a cidade de Manaus.

De fora do PSDB, quem o senhor apoiaria?

Não adianta eu especular porque é muito cedo. A gente prefere uma candidatura própria. Mas o importante para nós é o projeto. Estou ouvindo muitos dizerem: ‘eu sou candidato’. Mas eu quero saber qual é o projeto; e o que cada um pensa. Os temas estão aí muito claros. Então, não é uma coisa que esteja na nossa pauta de urgência urgentíssima (definir aliados), porque nós temos tempo. O governador não se manifestou. O ex-governador não se manifestou. Eu não vejo porque o PSDB teria que se manifestar agora.

O que muda na disputa com o senador Eduardo Braga fora, por ter assumido a liderança do Governo no Senado?

Ele era favorito nas pesquisas, apesar de ter um índice de votos nas pesquisas abaixo do que eu imaginava. Mas é claro que ele era favorito. E é claro que ele não sendo candidato despertou mais ânimo em pessoas que querem disputar a prefeitura. Temos o prefeito Amazonino que resolve não se candidatar, pelo menos ele diz e se ele diz eu acredito. Então ficou um quadro muito propício. A eleição vai ter segundo turno. No primeiro turno, todos disputam com sua própria força  e, no segundo, é  somar com os que comungam  com suas ideias.

Para o senhor, o senador Eduardo Braga está descartado como candidato à Prefeitura de Manaus?

Não tenho a menor ideia. Não tenho conversa com ele. Obviamente acho que ele tem um trabalho muito grande. Tem que se impor aos seus liderados, coordenar uma bancada complicada numa hora de crise. Sinto o governo Dilma muito desarticulado politicamente. Uma maioria muito fugidia, falsa. Então, o trabalho dele é se consolidar como líder do governo. Isso exige uma dedicação ímpar. Fui líder por quase quatro anos. Passei por testes muito exigentes. Desejo que ele tenha todo êxito na missão. Mas se eu fosse ele me dedicaria à missão com o máximo de seriedade, esquecendo as futricas locais, porque o lugar onde ele está não é a Disneylândia, não é não. Ele está num lugar mais pantanoso.

O senhor tem apetite de concorrer à Prefeitura de Manaus?

Não é uma coisa que me mate de desejo. Me dá muito mais apetite ajudar a construir um projeto que sirva de norte, bússola, para orientar uma candidatura legítima para a cidade de Manaus.

Então, são especulações as indicações de que o senhor será candidato a vereador?

Eu posso lhe assegurar que vereador eu não tenho a menor vontade de ser. Não vejo muito sentido. Tenho minha posição. O tempo vai dizer. Os processos sobre a fraude eleitoral em 2010 vão ser julgados. Não tenho que sair correndo atrás de um mandato de qualquer jeito. Na pior das hipóteses, se chegar a hora da eleição, eu disputo e se eu achar que tem que disputar. Na sou daqueles que se não é isso, serve aquilo.

O partido recebeu nos seus quadros Mário Frota, Plínio Valério e Paulo De’Carli. Esses nomes aceitariam sair com candidaturas à reboque de outras legendas?

Tudo tem que ser um processo de construção. Você ser apoiado por alguém não significa colocar alguém à reboque. Apoiar a alguém não significa ir a reboque. Significa nós termos Manaus em primeiro lugar e um olho político estratégico. Não buscarmos o isolamento do partido. Vamos ter 2014 e 2016. Temos que olhar um conjunto de fatores, entre os quais o não isolamento do partido. Não é uma coisa boa trabalhar para se isolar. Esses nomes são preparados para disputar uma eleição de prefeito. Eles estão tendo um comportamento exemplar do ponto de vista de compreender esse momento todo.

O senhor formaria chapa com o vereador Hissa Abrahão?

Quanto a seguir partidos aliados, tenho duas coisas a ponderar: Cada eleição é uma eleição e nem sabemos ainda quem será – ou não – nosso aliado. E a preferência básica é por candidatura própria. Logo, a hipótese envolvendo alianças sem o PSDB na cabeça vem atrás da hipótese de alianças com o PSDB liderando a chapa.

Qual é o resultado das conversas do PSDB com PPS?

As conversas com o PPS de Hissa, Guto Rodrigues, Luiz Castro, Zé Maria (no plano regional) e Roberto Freire (no plano nacional) são construtivas e fraternas. Não necessariamente resultam em alianças automáticas em todas as eleições. Mas representam o diálogo entre dois partidos que se respeitam e têm vários pontos em comum. O mesmo se dá com o PSB de Serafim Corrêa, Marcelo Ramos e Marcelo Serafim. Com o Partido Verde do prefeito Ângelus Figueira. Com o DEM do deputado Pauderney Avelino, que é tradicional aliado nacional do PSDB e mantém conosco, no Amazonas, relações corretas e de estima recíproca.

Com o prefeito Amazonino Mendes fora da disputa e um afastamento entre o senador Eduardo Braga e o governador Omar Aziz nas eleições desse ano é bom para o PSDB?

Não muda nada de substancial. Um partido não se deve pautar nas decisões de terceiros. Quanto à Amazonino, as manchetes dos jornais amazonenses estamparam declarações do prefeito Amazonino dizendo-se enfermo e completamente impossibilitado de disputar novas eleições. Neste momento cabe a minha solidariedade de ser humano e meu desejo de que esse homem público fique perto dos seus familiares queridos, entre os quais o Armandinho, filho dele que, apesar de todas as cruas divergências que mantive com o ex-governador, sempre foi meu amigo fraterno e sincero.

O senhor formaria aliança com o grupo do governador Omar, com o senador Braga fora das eleições deste ano?

Sou amigo pessoal do governador Omar Aziz. Não gosto de falar do que não está sendo alinhavado. Mas não tenho preconceito contra ele. Mesmo que tenhamos de ficar em lados opostos, sei que prevalecerá o respeito mútuo e isso já não é pouco. Ele é mais aberto que Eduardo. Soube, agora mesmo, que uma figura importante do PSD – ministro? Não sei bem, Dilma tem exagerados 39 ministros, nem dá para saber os nomes de todos eles de cor – esteve em Manaus e Omar teve a gentileza de chamar o Serafim para participar do almoço. É um gesto hábil, pois o credencia diante do visitante, e um gesto de boa abertura, pois, no mínimo, desarma o Serafim. Essa marca do atual governador, que é a cordialidade, é boa para a imagem dele. Em tempo: eu jamais me disporia a formar aliança “contra” Braga ou quem mais fosse. Sou por alianças “a favor” de Manaus e do Amazonas. Negar é menos nobre do que ser positivo, do que afirmar.

Busca do mandato continua

Com a certeza de que teve, em 2010, a reeleição surrupiada pela compra de votos nos rincões do interior do Amazonas, o senador Artur Neto (PSDB) afirma que, concorrendo ou não à Prefeitura de Manaus, não desistirá da denúncia do que chama da “torpe fraude eleitoral de que já se teve notícia no Estado, desde a democratização até hoje”.

“Houve fraude deslavada, comprovada pelo Ministério Público e pela Polícia Federal. O Ministério Público Eleitoral do Amazonas, então, propôs cinco ações reparadoras, que tiveram absoluto respaldo da Procuradoria-Geral da República. Não propus nenhuma ação. O MPE, sim. Sou apenas assistente do MPE. Entendo que é um dever levar isso até o fim, até que a Justiça se faça”, disse o ex-senador.

Artur Neto perdeu a segunda vaga para o Senado na eleição de 2010 para a deputada federal Vanessa Grazziotin (PCdoB). A primeira cadeira foi conquistada pelo ex-governador Eduardo Braga (PMDB), apontado pelo senador tucano como o artífice de um esquema de compra de votos. Vanessa foi eleita senadora, com 672,9 mil votos, contra 644,3 mil votos de Artur. Em pontos porcentuais, a diferença entre os dois foi de 2,1%, o equivalente a 28.580 votos, dos 1.317.260 votos válidos.

O ex-senador volta a fixar moradia no Brasil a partir de junho. Vai morar em Brasília, onde ficará à disposição do Itamaraty, mas disse que estará frequentemente em Manaus.

Fonte: Acritica.com

César Cassol aceita convite e PP oficializa pré-candidatura a prefeito em Rolim

O anúncio foi feito na noite desta segunda-feira (30) durante evento organizado pelo Partido Progressista (PP). Diante de uma platéia de 600 pessoas Cesar Cassol,irmão do senador Ivo Cassol, anunciou que pretende ser candidato a prefeito do município de Rolim de Moura pelo PP.

“Demorei a decidir se entraria ou não nesta disputa. Meu desejo era ver outros nomes juntos nesta missão. O que me fez aceitar ser pré-candidato foi o pedido do povo de Rolim de Moura. As pessoas me paravam na rua pedindo para me candidatar. Resolvi atender o clamor popular”, esclareceu o pré-candidato.

O senador Ivo Cassol, presidente regional do PP, presente do encontro revelou que o município de Rolim de Moura está perdendo recursos federais por falta de gestão competente. Que o município deixou de crescer nos últimos anos e que isso não pode mais acontecer. “Precisamos de políticos sérios, focados no crescimento da cidade e não em interesse próprio, como vem acontecendo. Por causa disso quem paga o pato é a população que sofre com a saúde precária, a falta de emprego e renda”, disse o senador.

Durante discurso, a ex-prefeita do município Milene Motta criticou duramente a atual gestão municipal. Declarou que em pouco tempo a arrecadação de Rolim de Moura, que tem cerca de 51 mil habitantes, será menor que a do município de Chupinguaia, com uma população de nove mil pessoas. A ex-prefeita disse ainda que abriu mão da candidatura para apoiar Cesar Cassol por saber de sua qualificação em administração pública.

Cesar Cassol exerceu vários cargos importantes na vida pública em Rondônia. Em 1985 foi chefe de gabinete da Casa Civil no governo Angelo Angelim. 1986 a 1987 foi prefeito nomeado de Santa Luzia do Oeste; 1988 a 1992 prefeito eleito pelo voto popular de Santa Luzia do Oeste; 1994 a 1997 – Deputado estadual; 1998 a 2002 – Deputado estadual (reeleito) e 2003 – Diretor geral do DETRAN.
O evento contou com a presença de outros 13 partidos, como PTN, PTB, PSDC, PPS, PV, PMN, PTC, PRP, PSD entre outros. Lideranças de municípios da zona da mata também prestigiaram o encontro.

Fonte: Rondoniagora.com

Guerra de patentes entre Facebook e Yahoo! acirra disputa judicial

San Francisco – A guerra judicial entre os grupos de internet Yahoo! e Facebook sobre suas respectivas patentes acentuou-se nesta sexta-feira (27/4) depois que o primeiro acusou seu rival de comprar propriedade intelectual somente para poder atacá-lo.

O Yahoo! incluiu esta acusação em uma resposta de 37 páginas a uma ação iniciada pelo Facebook no início do mês, na qual a gigante das redes sociais buscou se defender de um julgamento por usurpação de patentes.

“Em represália contra as alegações de boa fé do Yahoo! por violação de patente, o Facebook dá conta da usurpação de 10 patentes”, lembra o advogado do Yahoo!, Kevin Smith, nesse documento.

Mas, segundo ele, o “Facebook carece de justificação de boa fé na maioria – ou em todas – suas reclamações, particularmente no caso de patentes compradas de outros”.

Essa resposta é divulgada poucos dias depois do anúncio de que o Facebook pagará 550 milhões de dólares para comprar patentes adquiridas em primeira instância pela AOL, e depois compradas e revendidas pela Microsoft.

“Estamos perplexos diante das iniciativas erráticas do Yahoo!”, disse um porta-voz do Facebook em e-mail enviado à AFP.

Fonte: Correiobraziliense.com.br

Universal perde fiéis para rival ‘milagreira’

Todas as terças pela manhã cerca de 4.000 pessoas aglomeram-se em um galpão de 12 mil m² no Brás, região central de São Paulo.

No altar, um orador mulato, de 1,90 metro e 92 quilos, anuncia: “Aqui tem milagre. O paralítico que saiu andando da cadeira de rodas. O cego que começou a enxergar. Aids, câncer. Tudo que na UTI não tiver mais jeito, aqui tem”.

O culto, com cinco horas de duração, é transmitido ao vivo pelo Canal 21, em UHF. “Neste mês, nossa meta é reunir 100 mil pessoas que pagarão o dízimo de R$ 200. Pagar o dízimo faz parte da aliança entre você e Deus.”

O orador é o apóstolo Valdemiro Santiago, 48. Ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, ele rompeu em 1997 com Edir Macedo para abrir sua própria denominação, a Igreja Mundial do Poder de Deus.

A briga entre os dois esquentou recentemente, em um vale-tudo televisivo.

Macedo associou a Mundial ao demônio, e exibiu na Record reportagem sobre a compra de fazendas avaliadas em R$ 50 milhões com dinheiro da igreja. Valdemiro apareceu dizendo que Macedo tem um câncer, que seria uma obra do diabo.

A Mundial é hoje a maior concorrente da Universal. Conta com 3.200 templos pelo Brasil –a Universal tem 5.000– e a mais extensa cobertura televisiva entre evangélicos. Só no Canal 21, são 23 horas de programação, além das duas horas diárias na Rede TV! e quatro na Band. Um gasto mensal de R$ 35 milhões em mídia.

É a igreja neopentecostal que mais cresce no país. Estima-se que 30% dos fiéis vieram da Universal, além de pastores atraídos pela expectativa de maior remuneração.

O “modelo de negócios” é o mesmo: televisão e dízimos. A diferença está na ênfase milagreira da Mundial.

Exorcismos e sinais de prodígio também fazem parte dos cultos da Universal. Mas, com a institucionalização da igreja, muito menos que antigamente. O público se sofisticou, de certo modo, abrindo um filão para a Mundial.

“Há enfermidades que são para a ciência e outras que são para serem tratadas espiritualmente. Embora Deus possa curar todas elas”, teoriza Santiago,  “Sou um executivo das almas. Através de minha oração, Deus já curou muitas doenças incuráveis pelo recurso da ciência.”

A simples imposição de suas mãos sobre a cabeça dos fiéis supostamente teria o poder da cura. Assim como a toalha que ele utiliza para remover o suor do rosto.

Na coleção de livros e DVDs escritos ou protagonizados por ele –somados, venderam respectivamente 4,3 milhões e 4 milhões de unidades–, destaca-se a narrativa sobre um naufrágio no mar de Moçambique em 1996.

Segundo seu relato, Santiago estava a serviço da Universal na África e saíra para pescar com outros três fiéis. Mas o barco teria sido sabotado e naufragou a 20 km da costa.

O apóstolo, com 153 quilos à época, conta que enfrentou círculos de tubarões. Mas que, por força da fé, nadou sete horas e meia até uma praia, onde foi recebido por dois anjos.

Citando o antropólogo francês Claude Lévi-Strauss, o professor de sociologia da religião da USP Flávio Pierucci interpreta o sucesso de Santiago: “Quem o procura já chega sugestionado. Os milagres acontecem, mas só para quem acredita. Não curam o mal, mas podem curar a sensação de dor”, diz o professor, acrescentando que a oferta de serviços mágico-religiosos é antiga no país e praticada por diversas fés.

Mas Pierucci chama a atenção para a instrumentalização dos prodígios: “A Aids não tem cura. Anunciar uma coisa que não é verdadeira utilizando provas duvidosas constitui estelionato”.

Mineiro de uma família com 12 irmãos, Santiago conta que viveu nas ruas de Juiz de Fora dos 12 aos 14 anos. Bebia e usava drogas. Ex-lavrador e pedreiro, não concluiu o ensino médio.

“Li poucos livros além da Bíblia. Os livros me ensinam, mas sempre parcialmente. Só a Bíblia tem sua totalidade.”

Para Ronaldo Didini, ex-integrante da cúpula da Universal e hoje responsável pela expansão internacional da Mundial, a chave do sucesso está na origem humilde: “Como Lula, ele tem carisma e fala a língua do povo. Ele não busca a sofisticação”.

Foi na Universal que ele conheceu a mulher Franciléia, obreira e hoje bispa da Mundial. O casal tem duas filhas e, quando está em São Paulo, fica num condomínio de luxo em Barueri (Grande SP).

Tem na garagem três carros importados blindados. As viagens para a fazenda em Mato Grosso são feitas em um jato particular. “Não sei se você já percebeu, mas eu tenho recursos. Dá pra comprar um bezerrinho não dá?”, diz ele.

Universal perde fiéis para rival ‘milagreira’

Todas as terças pela manhã cerca de 4.000 pessoas aglomeram-se em um galpão de 12 mil m² no Brás, região central de São Paulo.

No altar, um orador mulato, de 1,90 metro e 92 quilos, anuncia: “Aqui tem milagre. O paralítico que saiu andando da cadeira de rodas. O cego que começou a enxergar. Aids, câncer. Tudo que na UTI não tiver mais jeito, aqui tem”.

O culto, com cinco horas de duração, é transmitido ao vivo pelo Canal 21, em UHF. “Neste mês, nossa meta é reunir 100 mil pessoas que pagarão o dízimo de R$ 200. Pagar o dízimo faz parte da aliança entre você e Deus.”

O orador é o apóstolo Valdemiro Santiago, 48. Ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, ele rompeu em 1997 com Edir Macedo para abrir sua própria denominação, a Igreja Mundial do Poder de Deus.

A briga entre os dois esquentou recentemente, em um vale-tudo televisivo.

Macedo associou a Mundial ao demônio, e exibiu na Record reportagem sobre a compra de fazendas avaliadas em R$ 50 milhões com dinheiro da igreja. Valdemiro apareceu dizendo que Macedo tem um câncer, que seria uma obra do diabo.

A Mundial é hoje a maior concorrente da Universal. Conta com 3.200 templos pelo Brasil –a Universal tem 5.000– e a mais extensa cobertura televisiva entre evangélicos. Só no Canal 21, são 23 horas de programação, além das duas horas diárias na Rede TV! e quatro na Band. Um gasto mensal de R$ 35 milhões em mídia.

É a igreja neopentecostal que mais cresce no país. Estima-se que 30% dos fiéis vieram da Universal, além de pastores atraídos pela expectativa de maior remuneração.

O “modelo de negócios” é o mesmo: televisão e dízimos. A diferença está na ênfase milagreira da Mundial.

Exorcismos e sinais de prodígio também fazem parte dos cultos da Universal. Mas, com a institucionalização da igreja, muito menos que antigamente. O público se sofisticou, de certo modo, abrindo um filão para a Mundial.

“Há enfermidades que são para a ciência e outras que são para serem tratadas espiritualmente. Embora Deus possa curar todas elas”, teoriza Santiago,  “Sou um executivo das almas. Através de minha oração, Deus já curou muitas doenças incuráveis pelo recurso da ciência.”

A simples imposição de suas mãos sobre a cabeça dos fiéis supostamente teria o poder da cura. Assim como a toalha que ele utiliza para remover o suor do rosto.

Na coleção de livros e DVDs escritos ou protagonizados por ele –somados, venderam respectivamente 4,3 milhões e 4 milhões de unidades–, destaca-se a narrativa sobre um naufrágio no mar de Moçambique em 1996.

Segundo seu relato, Santiago estava a serviço da Universal na África e saíra para pescar com outros três fiéis. Mas o barco teria sido sabotado e naufragou a 20 km da costa.

O apóstolo, com 153 quilos à época, conta que enfrentou círculos de tubarões. Mas que, por força da fé, nadou sete horas e meia até uma praia, onde foi recebido por dois anjos.

Citando o antropólogo francês Claude Lévi-Strauss, o professor de sociologia da religião da USP Flávio Pierucci interpreta o sucesso de Santiago: “Quem o procura já chega sugestionado. Os milagres acontecem, mas só para quem acredita. Não curam o mal, mas podem curar a sensação de dor”, diz o professor, acrescentando que a oferta de serviços mágico-religiosos é antiga no país e praticada por diversas fés.

Mas Pierucci chama a atenção para a instrumentalização dos prodígios: “A Aids não tem cura. Anunciar uma coisa que não é verdadeira utilizando provas duvidosas constitui estelionato”.

Mineiro de uma família com 12 irmãos, Santiago conta que viveu nas ruas de Juiz de Fora dos 12 aos 14 anos. Bebia e usava drogas. Ex-lavrador e pedreiro, não concluiu o ensino médio.

“Li poucos livros além da Bíblia. Os livros me ensinam, mas sempre parcialmente. Só a Bíblia tem sua totalidade.”

Para Ronaldo Didini, ex-integrante da cúpula da Universal e hoje responsável pela expansão internacional da Mundial, a chave do sucesso está na origem humilde: “Como Lula, ele tem carisma e fala a língua do povo. Ele não busca a sofisticação”.

Foi na Universal que ele conheceu a mulher Franciléia, obreira e hoje bispa da Mundial. O casal tem duas filhas e, quando está em São Paulo, fica num condomínio de luxo em Barueri (Grande SP).

Tem na garagem três carros importados blindados. As viagens para a fazenda em Mato Grosso são feitas em um jato particular. “Não sei se você já percebeu, mas eu tenho recursos. Dá pra comprar um bezerrinho não dá?”, diz ele.

Justiça Eleitoral suspende propaganda do PT na Bahia

O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) da Bahia suspendeu nesta terça-feira (10) a propaganda gratuita de rádio e TV do PT no Estado. A justificativa é que a sigla usou o espaço para promover o deputado federal Nelson Pellegrino (PT-BA), provável nome do partido para disputar a Prefeitura de Salvador.

Na inserção de 30 segundos, o pré-candidato diz: “Salvador tem solução. Temos um povo criativo e trabalhador. Sabe o que falta? Coragem para mudar, vontade de fazer”.

O PMDB do ex-ministro Geddel Vieira Lima, rival do PT na Bahia, interpretou que se tratava de antecipação do processo eleitoral e acionou o TRE.

O juiz Josevando Andrade acatou a reclamação. O PT deve recorrer, segundo a assessoria de Pellegrino.