Senadores querem antecipar caso Demóstenes no Conselho de Ética

Senadores querem antecipar caso Demóstenes no Conselho de Ética

Andamento do processo depende de indicação do presidente do colegiado, que cabe ao PMDB

BRASÍLIA – Os senadores Alvaro Dias (PSDB-PR) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) afirmaram nesta segunda-feira, 2, que vão cobrar do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que antecipe a reunião do Conselho de Ética para avaliar a representação do PSOL que pede a abertura de processo por quebra de decoro contra o ex-líder do Democratas Demóstenes Torres (GO). O parlamentar foi flagrado em grampos telefônicos defendendo interesses do empresário do ramo dos jogos Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Na semana passada, o conselho marcou uma reunião para a próxima terça-feira, dia 10, para eleger seu novo presidente. O cargo está vago desde setembro do ano passado, mês em que o senador João Alberto (PMDB-MA) deixou a Casa para ocupar um cargo no governo de Roseana Sarney. O presidente interino Jayme Campos (MT), que é do mesmo partido de Demóstenes, já se declarou impedido para conduzir o processo que envolve seu colega do DEM.

Pelo critério da proporcionalidade das bancadas no Senado, a indicação do presidente do colegiado cabe ao PMDB. Dias e Randolfe consideram que, diante da gravidade das acusações que pesam contra Demóstenes, o melhor seria que o caso fosse analisado logo. Eles querem evitar a pecha de corporativistas ao demorar na análise da representação.

“Este julgamento é inevitável. A instituição é mais importante do que as pessoas. Nós somos transitórios, passageiros”, afirmou Alvaro Dias. O líder tucano disse que vai procurar José Sarney para tentar agilizar a eleição no conselho. Ele sugere que, após a escolha do novo presidente, o colegiado acolha a representação do PSOL, nomeie logo um relator e abra prazo para Demóstenes se explicar.

Deixe seu Comentário