RAUPP, NAZIF e CASSOL Confirmam que parecer é verdadeiro e que bancada tenta mudar texto na AGU

Os senadores Valdir Raupp (PMDB-RO), Ivo Cassol (PP-RO) e o deputado federal Mauro Nazif (PSB-RO) confirmaram nesta segunda-feira o parecer da Advocacia Geral da União (AGU), contemplando com a transposição para os quadros federais apenas os servidores rondonienses contratados através de concurso público até o dia 15 de março de 1.987. “A bancada não aceitou esse parecer”, explicou o senador Valdir Raupp, que estará na tarde de hoje conversando com o ministro-chefe da AGU, Luis Inácio Lucena Adams. “Nós temos argumento para provar que os servidores de 1991 também estarão inclusos na transposição”, acrescentou o parlamentar. O senador Ivo Cassol diz que vem apontando há muito tempo essas pendências, mas infelizmente, segundo ele, os políticos querem esconder a verdadeira situação. “Já havíamos dito isso no período das eleições passadas, quando teve político que desfilou dizendo pelos quatro cantos do estado que a transposição já tinha resolvido e na verdade a transposição nem se quer estava no meio do caminho. Graças a Deus está no final do caminho. Mas essas dúvidas que tem sobre a transposição temos que tirar agora, não podemos ficar criando ilusões, sob pena de entregar esse pesadelo aos trabalhadores”, esclareceu o parlamentar. “Eu fico triste, mas se o governo federal quisesse já tinha resolvido isso. Eu sou da base do governo federal, mas não admito isso. Agora querem tirar proveito disso pra se promover na política, nas eleições desse ano, como fizeram no passado”, lamentou. Já o deputado Mauro Nazif disse que esse parecer havia sido apresentado várias vezes, inclusive até noticiado, segundo ele, embora a mídia não tenha tido acesso ao documento. “Esse sempre foi a grande discussão que sempre levamos no Ministério do Planejamento, que a AGU sempre tinha se colocado contrário, sempre foi essa barreira. Tanto que na época do João Bernado, que era secretario na época do Lula, de recursos humano ele foi categórico. “Podem até emitir parecer favorável, mas judicialmente, os servidores do estado de Rondônia irão vencer”. Naquele momento o segundo homem mais importante do ministério do planejamento que era o João Bernardo disse que, se a AGU permanecer com esse parecer a União vai ter um prejuízo muito grande daqui algum tempo”, sintetizou. Segundo a AGU, conforme publicado no final de semana,  serão beneficiados somente os servidores que estavam em atividade até o dia 15 de março de 1.987, data da posse do primeiro governador eleito de Rondônia. E mesmo assim, esses funcionários terão direito somente se tiverem sido contratados através de concurso público. Servidores de empresas públicas (CAERD, CERON, BERON) estão mesmo de fora.

Deixe seu Comentário