Projeto para unificar as eleições no Brasil ganha apoio no Estado

A União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale) está em mobilização para que a proposta da unificação das eleições municipal e estadual seja votada pelo Congresso Nacional. Trinta e duas propostas sobre o assunto estão em tramitação no Congresso, mas o que deve entrar em votação entre os dias 8 e 10 de abril é a proposta da Unale, de autoria do deputado federal Henrique Fontana (PT-RS).
Eleições para presidente, prefeito, governador, vereador e deputados podem acontecer na mesma data - foto: Ricardo Oliveira
Eleições para presidente, prefeito, governador, vereador e deputados podem acontecer na mesma data – foto: Ricardo Oliveira

Se a unificação for aprovada, o eleitor irá votar para os cargos de presidente da República, senador, governador, deputado federal, deputado estadual, prefeito e vereador a cada cinco anos, mas existem divergências entre parlamentares sobre os benefícios da unificação.

No Amazonas, o deputado estadual,Francisco Souza (PSC) é o coordenador da Comissão Especial da Unificação das Eleições, ligada à Unale. Na semana passada, o deputado Francisco Souza anunciou a criação de uma frente de mobilização pela realização de eleições simultâneas, majoritárias e proporcionais.
Souza disse que no momento a proposta da União dos Legisladores é consolidar a campanha nacional de unificação e, posteriormente será colocada em discussão os prazos para que as eleições sejam realizadas.
“Considerando que a proposta pode ser incluída na votação da reforma política no Congresso estamos ainda trabalhando em ‘velocidade regular’, pois a Unale não vai entrar no mérito de prazos, não queremos conflitar com as matérias do Congresso. A mobilização é para motivar o Congresso a votar, dentro da reforma política, a unificação”, explicou.
O deputado afirmou ainda que, dependendo do que vier a acontecer no Congresso Nacional nos próximos dias, ele pretende realizar audiências públicas na capital e no interior do Estado para debater a proposta de unificação.
“O Amazonas tem uma grande força constitucional, aqui no Estado já estou sonhando com um milhão de assinaturas”, destacou.
Segundo a assessoria de comunicação da Unale, se a proposta não for votado em abril, a instituição fará uma grande mobilização nacional para que o Congresso Nacional coloque a proposta em votação. A proposta ainda não é um projeto de lei e somente o será quando as assembleias legislativas de todo Brasil recolherem assinaturas para a aprovação do projeto. A coleta de assinaturas para a aprovação do projeto da Unale só deve começar em abril.

Deixe seu Comentário