Presidente do PT diz que partido não teme julgamento do mensalão

Ação penal depende de liberação do ministro Ricardo Lewandowski .
Rui Falcão acompanhou posse da nova presidente do TSE.

O presidente nacional do PT, deputado Rui Falcão (SP), afirmou  que ‘não há temor’ por parte do partido em relação ao julgamento da ação penal do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O julgamento do caso, que vai determinar a responsabilidade de 38 réus no suposto esquema de compra de apoio político no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, depende somente da entrega de parecer do ministro Ricardo Lewandowski, revisor do relatório do ministro Joaquim Barbosa.

Rui Falcão - Presidente do PT

“Se o julgamento do chamado mensalão se der como espero, pelo que está contido nos autos, não há nenhum temor da nossa parte”, afirmou o presidente do PT, em Brasília, onde esteve na noite desta quarta para participar da solenidade de posse da ministra Cármen Lúcia como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

CPI
O presidente do PT defendeu a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito no Congresso que irá investigar as relações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com políticos, autoridades. A leitura do requerimento que pede a criação da CPI será lido na manhã desta quinta, em sessão do Congresso Nacional.

“Achamos importante ter uma investigação sobre as denúncias que foram feitas pela Polícia Federal, que envolve tanto a operação Vegas como a Operação Monte Carlo. Achamos que é importante conhecer a verdade sobre esses acontecimentos. Nós nunca devemos temer a verdade dos fatos”, disse o presidente do PT.

Falcão afirmou que tem mantido contatos “regulares” com o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), suspeito de envolvimento com o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

“Eu tenho contatos regulares com o governador Agnelo pois é minha função. Não me consta que haja qualquer preocupação do governador Agnelo sobre a CPI que está se propondo a investigar a Operação Vegas e Monte Carlo”, disse.

O presidente do PT disse que acredita na “presunção de inocência” de Agnelo. “Eu acredito na presunção de inocência, não só com relação ao governador Agnelo, mas em relação ao governador Marconi Perilo [PSDB-GO), que tem denúncias de telefonemas ao Carlinhos Cachoeira. Mesmo em relação a ele, eu trabalho com a presunção de inocência”, afirmou.

Deixe seu Comentário