PF investiga ex-assessor de Agnelo por grampo ilegal

A Polícia Federal investiga um ex-assessor especial do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), por envolvimento na interceptação ilegal de e-mails de adversários.

Trata-se do policial civil Marcello de Oliveira Lopes, conhecido como Marcellão. Ele foi exonerado na segunda-feira do cargo de confiança que ocupava na Casa Militar desde 15 de fevereiro. Antes disso, foi assessor da diretoria da Polícia Civil do Distrito Federal.

O policial saiu da Casa Militar após a divulgação de que seu nome aparece na Operação Monte Carlo, deflagrada em 29 de fevereiro, quando ainda ocupava o cargo.

Entre 2011 e 2012, Lopes tratou de acesso a e-mails de terceiros em conversas telefônicas com o sargento Idalberto Matias, o Dadá, apontado como araponga do grupo de Cachoeira, segundo confirmaram três fontes das investigações.

OUTRO LADO

O policial diz que não falou com Dadá sobre e-mails interceptados. “Se ele interceptava, ele emprestava pro Carlinhos Cachoeira. Ele nunca me falou das atividades dele.”

Lopes disse que conversava com Dadá para “levá-lo à igreja” e convertê-lo.

Deixe seu Comentário