MST invade usina em Pernambuco

Movimento cobra desapropriação de terras e lança críticas ao governador Eduardo Campos

GOIANA – Cerca de 300 mulheres ligadas ao Movimento dos Sem Terra (MST) e à  Comissão Pastoral da Terra (CPT) invadiram, na manhã desta sexta-feira, 8, a Usina Maravilha, desativada, no município de Goiana, na zona da mata norte de Pernambuco, com quebra de cadeado e de vidraças da portaria, e em seguida saíram em caminhada pela BR-101, interrompendo o tráfego por 50 minutos. A ação, pela reforma agrária, integra a Jornada Nacional de Luta pelas Mulheres Sem Terra.

O objetivo é a realização de uma força tarefa pelos Incra de Pernambuco e da Paraíba e exigir prioridade do governador Eduardo Campos (PSB) para a reforma agrária. Os sem-terra acusam o governador de ter comprado terras para a fábrica da montadora da Fiat que se instala no município. “Se pode desapropriar para a Fiat, por que não pode desapropriar para a reforma agrária?”, indagou a integrante da direção estadual do MST, Maria Sueli da Silva. Os sem-terra também denunciam trabalho infantil em usinas do grupo.

A Usina Maravilha, falida, pertence ao grupo Cruangi. De acordo com Marluce Melo, da Comissão Pastoral da Terra, em 2009 a usina demitiu trabalhadores que até hoje esperam o pagamento dos seus direitos trabalhistas. “Reforma agrária já”, defendeu ela. A polícia militar só chegou no final da interrupção da já estrangulada BR-101 – devido a obras, com ponto de passagem de uma só pista -, e não interferiu no protesto.

O sindicato dos usineiros e governo estadual não se pronunciaram até o momento. Os sem-terra devem ir à prefeitura da cidade e ao Ministério Público ainda nesta sexta.

 

Fonte: Estadão

Deixe seu Comentário