Médicos paralisam atividades na próxima quarta-feira em Rondônia

A greve foi decidida em Assembleia Geral e, entre outros pontos de pautas, tem como reivindicações melhoria nas condições de atendimento à população, aprovação de Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), novas estruturas hospitalares e contratação de médicos especialistas em diversas áreas.

“A situação da saúde do estado está completamente caótica, a secretaria de saúde não tem plano para resolver o problema do hospital Pronto Socorro João Paulo II. Estamos saturados, não aguentamos mais”, disse o presidente do Simero Dr. Rodrigo Almeida.

O médico ainda acrescenta que “com o atual salário e com as condições de trabalho que enfrentamos dia-a-dia, fica quase impossível de atrair especialistas de outras regiões do país e o anúncio de um salário conjunto com a prefeitura de mais de R$30.000,00 é fantasioso e não vai acontecer”.

Por último, Dr. Rodrigo Almeida comentou que “o governo cada vez mais nos decepciona. Alguns médicos já estão se preparando para deixar o estado e a tendência é piorar ainda mais este quadro”, destacou Almeida.

Fonte: Rondoniagora.com

Deixe seu Comentário