Má gestão pode colocar em risco iminente legado de Mauro Nazif na questão social e agrária

Em outras ocupações, o assunto é recorrente e já provocou a ira da base aliada do prefeito na Câmara e entidades de classes.

Rondônia – Quase cinco meses após Mauro Nazif [PSB] ser eleito prefeito, o município perdeu o controle sobre o andamento das coordenadas sobre potenciais conflitos sociais e agrários nos distritos e no entorno da Capital Porto Velho.

 

– O município pode recorrer ao Governo Federal, mas não o faz a contento, denunciam ex-acampados do Largo do Palácio Tancredo Neves. Em outras ocupações, o assunto é recorrente e já provocou a ira da base aliada do prefeito na Câmara e entidades de classes.

Apesar de remanejadas para uma área do final da Avenida Amazonas [Zona Leste], as famílias ainda estão sem a devida inclusão no diagnóstico ainda não divulgado pela secretarias municipais de Habitação e Regularização Fundiária [Semur], de Assistência Social [SEMAS] e de Planejamento [SEMPLA].

Segundo ativistas agrários e sociais que lutam pela posse da terra nesta Capital e interior do Estado, ‘isso pode colocar em risco o legado de Dr. Mauro que anunciou durante a campanha e depois da posse’; sobretudo no quesito da infra-estrutura que seria protagonizada por ele para a cidade.

INVERNO QUE DERROTA – Os primeiros 100 dias do governo do PSB [Partido Socialista Brasileiro], o inverno, praticamente, consumiu, lembraram. Na verdade, ‘o período chuvoso tem sido o grande adversário dos prefeitos e governadores rondonienses’, disseram.

Divulgada pela Câmara, o agravamento das relações com os secretários municipais, segundo porta-vozes do Legislativo Mirim, ‘os secretários de Mauro ignoram os vereadores’. No passado, eram os secretários de Roberto Sobrinho, agora, são os da gestão atual’.

Na suposta ‘lista negra’, entre outros, figura o secretário de Habitação e Regularização Fundiária [SEMUR], Christian Piana Camurça e Josélia Santos, da Assistência Social. O primeiro, além de vir usando dois pesos e duas medidas na questão fundiária, vive se digladiando com o Adjunto, Antônio Carlos Ferreira, fato ocorrido no dia 7 passado.

MUDANÇAS DEVEM SER FEITA – A má fé gestão de parte dos secretários de Mauro Nazif, segundo coleta de informações junto à Câmara, ‘em pouco tempo colocará em risco todo o legado dele’, o que deve arranjar também, por analogia, a campanha presidencial de Eduardo Campos, governador de Pernambuco.

Para alguns vereadores, ‘a falta de habilidades de Christian Camurça já compromete um potencial balanço da gestão de Mauro prevista para o final do semestre’. Os projetos da SEMUR são considerados por edis, lideranças agrárias e especialistas no assunto, ‘como defasados e obsoletos’, porque é flagrante a presença do município nos conflitos.

Todas as ocupações – mesmo aquelas em terras públicas da União -, desde a era Roberto Sobrinho [PT], foram tratadas com desdém naquela importante e estratégica pasta municipal, denuncia um ex-Coordenador de um templo evangélico freqüentado pela ex-Primeira Dama do município.

P.A DO PLANALTO – Cerca de 1.200 famílias que ocupam, mediante coordenação da Associação de Moradores do Bairro Planalto [AMPLA], INCRA e a Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária [SEMUR], voltaram a ser ameaçadas por um grupo de moto-taxistas que não aceitam as ordens do prefeito Mauro Nazif e da entidade. Apenas o INCRA e a Polícia Federal podem contê-los, afirmam assentados que fizeram o cadastro há mais de um ano.

As famílias, devidamente representada pela AMPLA, mesmo com o reconhecimento da posse da terra pelo INCRA, em reunião na Câmara, passaram a ter os lotes invadidos e vendidos pelos moto-taxistas liderados por um tal ‘Cowboy’ ligado a um pretenso pré-candidato à Câmara dos Deputados nas eleições de 2014, pelo Partido Comunista do Brasil [PCdoB].

Apesar de o Superintendente do INCRA, Flávio Carvalho, assumir a responsabilidade do repasse da área à Coordenação dos Assentados perante a Câmara de Vereadores e desta à Prefeitura, conjuntamente com a SEMUR e a AMPLA, ‘não é isso que vem ocorrendo’. A transferência da área da União deve assegurar a expansão urbana de Porto Velho, mas Christian não atenderia a Câmara.

GRILAGEM SOB DUAS RODAS – Este site apurou que, ‘Cowboy’ e seu grupo ‘não teria procuração de um advogado ligado ao Partido Comunista do Brasil [PCdoB] ou da Central Única dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil [CTB-RO]’. Trata-se do advogado Rafael Claros, que não foi encontrado para falar sobre o assunto.

Os acusados ocuparam a força várias quadras do PA Planalto, entre as quais, a Quadra 1 com mais de 18 lotes já vendidos por eles. Inclusive o lote onde seria construída a escola local. Na grilagem incluíram os lotes 105 a 15, o que deve juntar-se a duas quadras próximas às fundiárias, onde um segundo grupo de invasores se  apossou da área do INCRA.

Atrasos e falta de controle dos cronogramas de obras, ações e planejamento da expansão urbana de Porto Velho, por parte de alguns secretários do prefeito, ameaçam o legado de Mauro Nazif, reiteram as lideranças. Elas sustem, contudo, que, ‘até projetos especiais podem está ameaçados, como o da construção das 10 mil casas populares anunciadas pelo prefeito’.

Para esses grupos representativos, ‘vereadores aliados já admitem organizar uma audiência com o prefeito, na Câmara, para tratarem da substituição de vários secretários. E da chamada da Polícia Federal para investigar e prender o grupo de moto-taxista de invadir e vender lotes de terras da União Federal, já que o município não e manifesta sobre o assunto.

Indagado, o presidente da AMPLA, Gilberto Pereira da Silva, afirmou que, ‘o despeito às autoridades por parte dos invasores é um recorrente’. Segundo ele, a SEMUR, o INCRA e o prefeito já foram comunicados. Contudo, ‘os moradores, legalmente, assentados, vem sendo vitimizados sob ameaça de morte por facão, arma de fogo, além de agressões’, arrematarou.

Xico Nery é Produtor Executivo de Rádio, Jornal, TV, Repórter Fotográfico e CONTATO de Agências de Notícias nas Amazônias, Países Andinos e Bolivarianos.

 

Fonte: Xico Nery/Newsrondonia

Deixe seu Comentário