Justiça autoriza desmonte de aviões da Vasp parados em Manaus

Justiça autoriza desmonte de aviões da Vasp parados em Manaus

A previsão é concluir a retirada de todas as dez aeronaves ociosas dno Aeroporto Internacional Eduardo Gomes até 2014.

MANAUS – A Justiça autorizou, no início deste mês, o desmonte de aeronaves sucateadas da Vasp, paradas em Manaus. Os aviões ocupam o pátio do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes há quase uma década, em uma área que poderia ser otimizada para utilização por aviões em atividade. A previsão é concluir a retirada de todas as estruturas ociosas do terminal até 2014.

Espalhadas pelo Brasil, há 22 aviões da empresa falida Vasp – dois deles estão em Manaus. A imagem das aeronaves totalmente destruídas pela ação do tempo é uma das primeiras imagens possíveis de serem vistas ao chegar ao aeroporto. O desmonte e venda das peças das aeronaves corria na Justiça e esteve parado até o momento.

De acordo com a Assessoria da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), apesar da decisão, nenhuma das aeronaves já deixou o pátio do terminal. Outras aeronaves, de um total de dez, aguardam a mesma ação. O processo de outras empresas falidas seguem na Justiça.

“Quando iniciamos o Programa ‘Espaço Livre – Aeroportos’, todos queriam prazos e datas, mas eles dependem do processo, dos recursos, da afirmação da decisão judicial e envolve peritos, autoridades de outras áreas, advogados, interesses da massa falida e do Ministério Público”, comenta o presidente da Comissão Executiva do projeto, juiz auxiliar Marlos Augusto Melek.

O avião inoperante mais antigo de Manaus chegou em 2004. Por meio do programa junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a sucata resultante do desmonte das aeronaves será vendida em leilão e a renda revertida à massa falida da empresas.

Deixe seu Comentário