Governo envia força nacional para obras de jirau e santo antônio

Rondônia – A exemplo de medida adotada para garantir a segurança na usina de Belo Monte, no Pará, o governo decidiu enviar tropas da Força Nacional de Segurança Pública também às usinas hidrelétricas de Jirau II e Santo Antônio, em Rondônia, com obras ameaçadas por greve de trabalhadores.

Foi o que determinou o ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, na portaria 1.441 publicada na edição de hoje do “Diário Oficial da União”.

Cardozo diz que a solicitação partiu do governador de Rondônia, que enviou ofício com o pedido em 8 de março. As tropas ficarão nas duas usinas que estão em construção no rio Madeira por 180 dias.

Canteiro de obras da usina de Jirau, em Rondônia
Canteiro de obras da usina de Jirau, em Rondônia

GREVE

Nesta semana, milhares de trabalhadores das usinas de Jirau e Santo Antônio entraram em greve e paralisaram as obras. As usinas empregam, respectivamente, cerca de 17 mil e 13 mil funcionários da construção.

Os funcionários exigem reajuste salarial de 15%, aumento na cesta básica de R$ 270 para R$ 350 e PLR (Participação nos Lucros e Resultados) de 50 horas (hoje é de 30), segundo o vice-presidente do Sticcero (Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Construção Civil do Estado de Rondônia), Altair de Oliveira.

As obras da usina de Santo Antônio são comandadas pelo Consórcio Construtor Santo Antônio (CCSA) e as de Jirau são de responsabilidade da Camargo Corrêa. Ambas as construtoras pediram intervenção da Justiça na greve.

Cardozo justifica na portaria que o uso das tropas policiais tem o objetivo de de garantir a incolumidade das pessoas, do patrimônio e a manutenção da ordem pública.

Deixe seu Comentário