Governo confirma estímulo e promete dar fôlego ao Polo Industrial de Manaus

Ministro Guido Mantega afirmou ontem que meta é voltar a estimular o crédito para moto para ampliar vendas.

O governo mantém a intenção de adotar medidas para estimular o setor de motocicletas, segundo afirmou ontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ele disse que o setor já tem redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), mas houve retração na oferta de crédito. “No caso das motos, falta financiamento. Os bancos reduziram os créditos em financiamentos e têm receio, principalmente no caso das motos. Estamos trabalhando no sentido de voltar a estimular o crédito para motos. Estamos estudando medidas que vão estimular a retomada de vendas”, disse Mantega.

O conjunto de benefícios – que deve incluir desoneração de tributos federais e estaduais e a inclusão de um banco oficial na concessão de credito para a compra de motocicletas – deve dar novo fôlego ao segmento ainda este ano, mas será insuficiente para reverter as perdas do primeiro semestre de 2012 no PIM. A meta de US$ 41 bilhões de faturamento atingida no ano passado, dificilmente será superada, de acordo com a avaliação de representantes da indústria no Amazonas.

Segundo os indicadores mais recentes da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), a redução do faturamento foi de 17,6% em maio, com US$ 2.99 bilhões e de 8,64%, com os US$ 14,97 bilhões acumulados nos cinco primeiros meses do ano, em relação a igual período de 2011.

De acordo com o levantamento do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal), as fábricas de duas rodas já desligaram 1715 trabalhadores no primeiro semestre deste ano, tendo o maior número de rescisões partida da Moto Honda (com 886 desligamentos, crescimento de 86,13% sobre o mesmo período de 2011). No total, as homologações das indústrias do PIM somam 12.787 demissões representam praticamente o dobro (+92,86%) dos desligamentos de igual período do ano passado.

Cenário atual

De acordo com a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), no primeiro semestre, a produção de motocicletas no Amazonas já caiu 10,26%com 967.901 mil unidades contra 1,078 milhão de motos em igual período do ano passado. Todos os principais fabricantes instalados no PIM viram sua produção desacelerar durante o período.

Ainda segundo a Abraciclo, a Moto Honda (responsável por 80,27% do total fabricado no país), registrou queda de 8,10% no acumulado do ano, quando 776.931 unidades saíram das fábricas. No ano passado, no mesmo intervalo, 845.495 motos foram fabricadas. Mesmo sem os dados fechados do semestre, os indicadores da Suframa mostram que o recuo na atividade industrial refletiu no faturamento das empresas que, com US$ 3,33 bilhões de faturamento nos cinco primeiros meses do ano, anotaram retração de segmento foi de 10,37% frente ao acumulado do ano anterior.

Já nas lojas, apesar das dificuldades de concessão de crédito por parte das instituições bancárias, o emplacamento do produto, conforme informou a Federação Nacional da Distribuição de Veículos de Veículos Automotores (Fenabrave), caiu apenas 3,44% no acumulado o ano. Foram 11.127 motos contra as 11.524 unidades comercializadas no primeiro semestre de 2011.

Autopeças

O ministro comentou sobre a situação do setor de autopeças, que passa por dificuldades. Segundo Mantega, a partir de agosto, o setor vai começar a se beneficiar com a desoneração da folha de pagamentos, o que deverá reduzir os custos para as empresas do setor. “[Com isso, esperamos que] a situação vá se reverter”. Além do setor de autopeças, outros 14 setores também passarão a se beneficiar com a desoneração da folha de pagamentos a partir de amanhã.

Fonte: portalamazonia

Deixe seu Comentário