Google paga multa recorde de US$ 22,5 mi por espionar usuários

O Google está pagando uma multa recorde de US$ 22,5 milhões (cerca de R$ 45,4 milhões) para findar o caso em que é acusado de rastrear milhões de internautas usuários do navegador Safari, da Apple –o que o Google havia se comprometido a não fazer em acordo com o governo americano.

A pena, anunciada nesta quinta (9) pela FTC (Federal Trade Comission, equivalente americana da brasileira Comissão de Valores Mobiliários), é a maior já aplicada pelo órgão por descumprimento de um acordo.

O Google nega ter agido de maneira ilegal.

A multa não é aplicada pela coleta de dados pelo Google de maneira irregular, mas por ocultar o fato. Em outubro último, o Google havia assinado um acordo de 20 anos que, entre outras disposições, incluía o compromisso de não enganar seus usuários quanto a sua privacidade.

COOKIES

O rastreamento ocorre por meio dos pequenos programas cookies, que ajudam os serviços de internet e publicitários a direcionar propaganda conforme os interesses dos internautas baseando-se em sua navegação.

Assim que foi notificado oficialmente da irregularidade, o Google interrompeu imediatamente a coleta dos dados.

Mas o contorno da configuração do navegador da Apple contradizia as páginas de ajuda do Google, que afirmavam que usuários do Safari não precisavam fazer nada para garantir que sua atividade não seria rastreada pelo gigante de buscas.

A contradição entre as palavras do Google e suas atitudes se tornaram o ponto mais importante da investigação da FTC.

RECORDE

A multa aplicada ao Google é US$ 19 milhões maior que a anterior maior pena, que fora aplicada a uma empresa de telemarketing ao descobrir-se que ela roubava dinheiro de pessoas que acreditavam estar doando quantias à filantropia.

As ações do Google subiram US$ 0,60 para US$ 642,83 na tarde desta quinta.

Fonte: Folha de São Paulo

 

Deixe seu Comentário