Feliciano aprova requerimento que proíbe entrada de público em comissão

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, deputado Marco Feliciano (PSC-SP), conseguiu nesta quarta-feira (3) aprovar um requerimento para restringir o acesso ao público nas próximas reuniões do colegiado.

Deputado Marco Feliciano participa da Subcomissão Especial destinada a analisar e diagnosticar a situação de Santas Casas, hospitais e entidades filantropicas na área da saude em junho de 2012
Deputado Marco Feliciano participa da Subcomissão Especial destinada a analisar e diagnosticar a situação de Santas Casas, hospitais e entidades filantropicas na área da saude em junho de 2012

Feliciano disse que “está sangrando” com a medida, mas precisa “trabalhar e mostrar ao Brasil a cara da comissão”. O fechamento das próximas reuniões foi aprovado com voto de aliados de Feliciano.

O pastor disse que a medida tem previsão regimental. Ele não deu um prazo para que as sessões voltem a ser abertas, mas afirmou que “não será para sempre”.

“Não há ninguém que lamente mais do que eu [o fechamento]. Estou sangrando”, afirmou.

O deputado pastor Eurico (PSB-PE) fez uma intervenção apoiando a ideia. “Estamos sendo vitimados por um movimento antidemocrático. Estamos sendo retaliados porque defendemos sua permanência. Somos a favor que a sociedade esteja presente, mas não para fazer os absurdos que vimos aqui”, afirmou.

A medida é para evitar a série de protestos que pedem a saída de Feliciano do cargo há mais de 20 dias que o acusam de racismo e homofobia.

 

Deixe seu Comentário