FDA aprova remédio contra obesidade

Pela primeira vez em 13 anos, reguladores americanos aprovaram uma droga para ajudar na perda de peso. Belviq, produzido pela Arena Pharmaceutical, pode ser usado por adultos obesos ou com problemas de sobrepeso. O remédio atingiu apenas resultados modestos em estudos clínicos, ajudando as pessoas a perder, em média, 5% do seu peso corporal.

De acordo com a BBC, o Belviq foi rejeitado em 2010 devido a preocupações a respeito de tumores que apareceram em animais nos quais o medicamento foi testado. No entanto, a fabricante, baseada em San Diego, Califórnia, submeteu a composição à análise do FDA, órgão que regula alimentos e medicamentos nos Estados Unidos, com novos dados. Os reguladores encontraram baixos riscos de desenvolver tumores em humanos que usam o remédio.

A droga deve ser lançada em 2013. Ela age bloqueando sinais de apetite no cérebro e fazendo os pacientes se sentirem satisfeitos com uma quantidade menor de comida. A aprovação é para uso em adultos com Índice de Massa Corporal (IMC) 30 ou mais. Belviq também pode ser usado por adultos com sobrepeso com IMC 27 ou mais se eles apresentarem ao menos uma outra condição como pressão alta, diabetes tipo 2 ou colesterol alto. O FDA alertou que o medicamento não deve ser usado por mulheres grávidas ou que estejam amamentando.

Com o aumento da obesidade no país, que já atinge 35% dos adultos, muitos médicos têm insistido com os reguladores sobre a urgência de aprovar novos tratamentos para a perda de peso. Mas a agência estabeleceu altos padrões de exigência para esses medicamentos depois de registrar problemas de segurança com remédios para emagrecer que eram populares nos EUA.

A combinação de fenfluramina e fentermina teve que ser retirada do mercado em 1997 depois de ser relacionada a danos da válvula cardíaca. Por meio de um comunicado, o FDA disse que o Belviq não parece apresentar o mesmo risco. No entanto, os efeitos colaterais da droga incluem depressão, enxaqueca e lapsos de memória.

O rótulo do medicamento informa que ele não deve ser usado por mais de 12 semanas, se uma perda de 5% do peso não ocorrer. O laboratório será obrigado a conduzir seis estudos depois de lançar o remédio, incluindo um para verificar o efeito a longo prazo da droga para o coração.

Fonte: Oglobo.globo.com

Deixe seu Comentário