Em evento com Aécio, ex-ministro diz que PSDB já tem candidato

Pimenta da Veiga, que coordenaria em Minas Gerais a possível candidatura presidencial do senador, assumiu presidência do Instituto Teotônio Vilela (ITV) no Estado nesta segunda-feira, 26

Empossado nesta segunda-feira, 26, por Aécio Neves (PSDB-MG), na presidência do Instituto Teotônio Vilela em Minas Gerais (ITV-MG), o ex-ministro Pimenta da Veiga disse que o PSDB “já decidiu” que o senador mineiro será o candidato tucano na corrida presidencial de 2014.

“O partido já decidiu, já tem candidato. Essa questão (prévias) vai ter que ser decidida se houver mais de um candidato”, afirmou Pimenta da Veiga, sem citar a pretensão do ex-governador paulista José Serra de disputar a indicação tucana para as eleições do ano que vem.

Aécio NevesEm entrevista ao jornal Valor Econômico nesta segunda, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi na mesma linha e disse que provavelmente não será necessária a realização de prévia entre Aécio e Serra. O ex-presidente afirma, porém, que Serra tem o direito de postular a candidatura. Mas, entusiasta da candidatura de Aécio, Fernando Henrique diz que nunca os tucanos estiveram tão unidos em torno de uma candidatura. “A dificuldade é que o PSDB em sua imensa maioria está com Aécio. Então, acho que a pessoa tem que ser realista.”

Para FHC, o ex-governador paulista não deixará o PSDB. “Meu palpite: ele fica.”

Aécio, que preside o diretório nacional do PSDB, voltou a dizer que é “completamente legítima” a pretensão de Serra de disputar a indicação do partido, mas negou a intenção de deixar a direção da legenda. “Não escutei essa proposta ainda”, afirmou.

Na semana passada, o ex-governador paulista cobrou “igualdade de condições” para disputar a consulta interna. Aécio  ressaltou que não cabe a ele decidir se haverá prévias. “Não é o presidente. É a executiva que vai decidir como isso pode acontecer. O que tenho feito como presidente é organizar o partido no Brasil inteiro.”

Pimenta da Veiga assumiu o ITV em Minas com a missão de de coordenar no Estado uma eventual campanha presidencial do senador.  Em seu discurso, o ex-ministro das Comunicações no governo FHC disse confiar que “a maior liderança política de Minas” em breve tempo “será a expressão máxima da política nacional”.

Dilma. Aécio voltou a criticar o que classificou como “promessas requentadas” da presidente Dilma Rousseff no Estado. A petista participará nesta terça-feira, 27, de eventos oficiais em Belo Horizonte – a terceira visita a Minas em três semanas. “O governo está acabando. As questões estruturais, que realmente mudariam a face do Brasil e fortaleceriam Estados e municípios, não vêm tendo resposta da presidente”, disse o senador tucano.

Deixe seu Comentário