Deputado faz criticas a indecisão de senadores do Amazonas sobre voto secreto

AMAZONAS – A indecisão dos senadores amazonenses sobre o fim do voto secreto, foi criticada pelo deputado Luiz Castro (PPS), que não descartou a possibilidade de os representantes do Amazonas no Senado, manterem o voto sigiloso com a intenção de garantir uma reserva de poder para negociar interesses particulares.

Hesitar na aprovação do voto secreto, segundo Castro, demonstra que os senadores estão amarrados a um retrocesso político, abolido na maioria das Casas Legislativas do País, inclusive na ALE-AM. “A sociedade não aceita mais que os parlamentares escondam o voto”, assinalou o deputado, acrescentando que o sigilo do voto, impede que os cidadãos conheçam a atuação dos parlamentares.

Dep. Luiz Castro

Para o parlamentar, não há honestidade em tirar do eleitor o direito de saber como os políticos se posicionam nas mais diversas decisões que afetam a vida da população. A democracia, segundo ele, prescinde do voto aberto, para que os cidadãos acompanhem a conduta de cada político.

Por outro lado, a manutenção do voto secreto, propicia umjogo espúrio, em que o parlamentar vota a favor de interesses não republicanos, trocando favores, e nunca assume as consequências de seus atos, afirmou Castro.

Nesse sentido, ele lembrou da vergonhosa rejeição à cassação do deputado federal Natan Donadon, acusado de desviar R$ 8 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia, mas que manteve o mandato, em votação secreta na Câmara dos Deputados.

A proposta que estabelece o voto aberto em todas as decisões do Congresso, foi aprovada em primeiro turno no Senado, com 10 votos contrários, mas os senadores Eduardo Braga e Alfredo Nascimento estão indecisos, enquanto que a senadora Vanessa Grazziotin já declarou que democracia não é sinônimo de voto aberto.

Deixe seu Comentário