Dois filhos pródigos de volta ao pai

As possibilidades da política são infinitas. Mostra disso é a reaproximação dos senadores Eduardo Braga (PMDB) e Alfredo Nascimento (PR) do ex-prefeito Amazonino Mendes (PDT), pai político de ambos.

Uma memória recente dos três mostra que a troca de graves acusações precedeu esse movimento, tais como : “picareta”, “canalha”, “traidor”, “mentiroso”, “ditador”, “desequilibrado”, “leproso”, “mau menino”, “vaidoso”, “incompetente”, “irresponsável” … ”nada”.

Análise paterna

Braga, Alfredo e Amazonino
Braga, Alfredo e Amazonino

Em 2011, Amazonino declarou sobre Braga: “Antes dele (Braga), nunca esse Estado tinha ouvido falar em superfaturamento”. Sobre Alfredo, no ano passado, disse que ele havia se envaidecido ao pisar no Ministério dos Transportes. “O caso dele mostrou a fragilidade humana”.

Malcriados 1

Os filhos políticos de Amazonino sempre responderam à altura para ele. Braga, no ano passado, ao dizer que Amazonino estava no fim da carreira declarou: “Eu sucedi o Amazonino duas vezes na prefeitura e no Estado e ele sabe como quebrou os dois e eu tive que consertar”.

Malcriados 2

Alfredo classificou Amazonino como um traidor a um blog local, em 2010. “Foi a Brasília, enquanto eu era ministro, e ninguém queria falar com ele. Parecia um leproso. Convenci o Lula a recebê-lo, abri as portas dos ministérios para ele”, disse.

Maré mudou

Correr o risco de disputar um pleito sem o apoio da máquina não é tarefa das mais fáceis, por isso o realinhamento. Foi assim também, em 2002, quando Braga se elegeu governador do Estado com o apoio de Amazonino depois de ser derrotado por dois pleitos seguidos.

Torcida contrária

Do outro lado da arena, já há torcida para que os três criem liga e deixem o governador Omar Aziz (PSD) livre, leve e solto em 2014. O deputado federal Carlos Souza (PSD) declarou, esta semana, que o vice-governador José Melo (PMDB) seria um ótimo governador.

Camaradas

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), adversária histórica de Amazonino Mendes, disse que o ex-prefeito faz parte de um partido da base aliada da presidente Dilma e, não sendo ele o candidato, não vê problemas numa chapa que una PCdoB e PDT no Amazonas.

Caiu fora

Cotado desde o final do ano passado para assumir a Seas no lugar da secretária Regina Fernandes, o deputado Chico Preto (PSD) rejeitou o cargo após visitar a pasta e descobrir que a maior parte do orçamento de 2013 já estava empenhada. Disse a interlocutores que não ia sentar na cadeira só para pagar contas.

Gracioso

Justificativa do prefeito de Manacapuru, Washington Régis (PMDB), para não realizar licitação na compra de caixões: “Se eu não comprasse os caixões, ia ter que fazer licitação para comprar sal para salgar os defuntos que iam apodrecer todinhos”.

Promessa

O desembargador João Simões, relator do ‘Caso Quinteto’, prometeu levar o processo a julgamento em abril. Há sete meses o processo está “concluso ao relator”. O ‘Quinteto’ é formado por um grupo de delegados iluminados que assumiu a função na Polícia Civil sem aprovação em concurso público.

Pinga Fogo

Depois de fazer estripulias durante recuperação de tratamento de saúde, o ex-prefeito Serafim Corrêa (PSB) se recupera bem e promete evitar novas extravagâncias. Os excessos dele foram sair do hospital direto para um restaurante comer peixe e participar de evento de lançamento da #Rede, quando deveria estar em dieta líquida e repouso absoluto.

Sem mandato e sem a presidência da Associação Amazonense dos Municípios, o ex-prefeito de Manaquiri, Jair Souto (PMDB), se dedicará a projetos pessoais: quer fazer um curso universitário em administração pública. Antes disso vai fazer o curso “acelerado” para adquirir o certificado de Ensino Médio que foi extraviado. “Vou ser doutor”, avisou.

 

Fonte: Acítica

Deixe seu Comentário