Cheia alaga estrada de Autazes, no AM, e afeta produção de leite em 30%

Prefeito alerta que município ficará isolado, caso o nível do rio aumente.
Estado ainda está analisando uma solução para o problema.

Produtores rurais do município de Autazes (a 113 Km a sudeste de Manaus) estão preocupados com a subida do Rio Mamori, que está alagando alguns trechos da AM-254, conhecida como Estrada de Autazes. No Km 4, por exemplo, a água invadiu a pista e está dificultando o tráfego. Autazes integra o polo leiteiro do Amazonas.

O prefeito Raimundo Sampaio informou que se o nível do Rio Momori continuar subindo, o acesso ao município será interditado nos próximos dias, afetando o abastecimento de alimentos, combustível e impedirá a chegada de donativos às vítimas da enchente. “O trecho alagado é extenso. Se subir mais meio metro, nem caminhão irá chegar a Autazes”, afirmou.

A mesma situação ocorre na rodovia BR-319 (Manaus-Porto Velho), entre Manaus e Careiro Castanho, mas o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes do Amazonas (DNIT-AM) informou, nesta sexta-feira (11), que irá instalar pontes treliçadas nas áreas alagadas, com apoio do Exército Brasileiro.

Ramais
Além da Estrada de Autazes, os ramais de acesso às comunidades Novo Céu e a indígena Marechal Rondon também foram alagadas pelas águas do Mamori. “Fizemos aterramentos e o problema foi parcialmente resolvido”, ressaltou o prefeito.

Autazes é o maior produtor de leite e derivados do Estado, possui 35 mil habitantes e é um dos 45 municípios afetados pela cheia dos rios amazônicos que decretaram situação de emergência. Segundo a Defesa Civil do Amazonas, cerca de 3,5 mil famílias ou 12 mil pessoas tiveram suas casas inundadas e estão em situação de risco.

Segundo Sampaio, a produção de leite caiu cerca de 30% por causa dos impactos da cheia. Vários pastos foram alagados em todo o município. A preocupação, além da cheia, é com a estiagem. “Já estamos pedindo apoio do Estado para que forneça ração, pois quando as águas abaixarem, não vai haver pasto para alimentar o gado”, disse.

Sem solução
A Secretaria de Infraestrutura do Amazonas (Seinfra), responsável pela recuperação das estradas estaduais, informou que uma equipe de engenheiros observou a situação no Km 4 da Estrada de Autazes, mas está analisando uma solução para o problema.

Fonte: G1.globo.com

Deixe seu Comentário