Após vitória de Obama na saúde, Câmara sensura seu procurador- geral

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos censurou nesta quinta-feira o procurador-geral Eric Holder por ter retido documentos do Departamento de Justiça sobre uma operação de monitoramento de armas. É a primeira vez na História americana que um procurador-geral é declarado em desacato. A decisão, um revés para o governo americano, vem no mesmo dia de uma importante vitória para o presidente Barack Obama, com a ratificação de sua reforma na saúde.

Por 255 votos a 67, a Casa, dominada pelos republicanos, sancionou Holder por não cooperar com a investigação da operação “Fast and Furious”, que foi conduzida pelo Departamento de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos de 2009 a 2011 próximo à fronteira com o México.

Eric Holder, procurador-geral – EUA

Os republicanos promoveram a resolução porque Holder se negou a entregar documentados relativos à operação, que não conseguiu rastrear armas compradas nos EUA e que acabaram no México. A Comissão de Supervisão e Reforma Governamental queria que o Departamento de Justiça lhe entregasse registros de dez meses, a partir de fevereiro de 2011. Naquele mês, o Departamento inicialmente negou que tivesse permitido a venda de armas no Arizona para que fossem levadas ao México. Em dezembro do mesmo ano, o Departamento reconheceu que essa afirmação era incorreta.

Obama recorreu ao foro Executivo para negar a entrega dos documentos, mas os republicanos dizem que a ação não tem fundamento.

Em um comunicado, Holder disse que a votação é “o ápice lamentável do que se tornou uma equivocada – e politicamente motivada – investigação durante um ano eleitoral”. O procurador-geral também acrescentou que os republicanos que conduziram a investigação “focaram mais na política do que na segurança pública”.

Nos próximos dias, a Câmara dos Representantes terá que encaminhar a acusação de desacato a Ronald Machen, procurador-geral dos EUA para o distrito de Columbia. Será Machen quem decidirá se vai abrir acusações criminais contra Holder, que é seu chefe.

Uma resolução de desacato civil permitiria a Câmara Baixa a ir aos tribunais para tentar obrigar Holder a entregar os documentos desejados.

Antes da votação, vários democratas deixaram a sessão em protesto ao que dizem ser uma investigação politicamente motivada para embaraçar Holder e o governo de Obama.

– Isso não é uma medida de princípios para resolver a questão – afirmou Nancy Pelosi, líder da minoria, antes de seus colegas abandonarem o local.

Fonte: Oglobo.globo.com

Deixe seu Comentário