Alguns jornais, portais e TVs querem que Alckmin deixe trens e metrô sem manutenção! – Por Reinaldo Azevedo

Segundo alguns iluminados da imprensa brasileira, além de processar a Siemens, o governador Geraldo Alckmin deveria — VEJAM QUE COISA!!! — suspender os contratos em curso que tenham alguma relação com a empresa. É… Coisa mesmo de gênio!

A apuração em curso no Cade diz respeito a contratos já executados. Sobre eles, Alckmin fez a coisa certa: processar a empresa para reaver o dinheiro que o estado pode ter perdido em razão da suposta formação de cartel. Uma vez que o Cade e o Ministério Público decidiram garantir a impunidade à empresa, em razão do Acordo de Leniência, resta ao governador apelar a outra instância para tentar recuperar o dinheiro, ora…

Reinaldo Azevedo - Blogueiro e Colunista - VEJA
Reinaldo Azevedo – Blogueiro e Colunista – VEJA

Suspender outros contratos? Por quê? Qual é a suspeita que existe sobre eles? O que Alckmin alegaria legalmente? Mais: ao suspendê-los, entre outras delicadezas, os trens ficariam sem manutenção.

A imprensa é livre. Cada um escreva o que quiser, não é? Cabe, não obstante, perguntar: com que valores passou a operar essa imprensa? Será que o fato de o governador não ter, corretamente, suspendido contratos é notícia a ser veiculada em tom de censura? É essa a noção de estado de direito que têm jornais, portais e TVs?

“Ah, tudo é questionável numa democracia…” Errado! Os fundamentos de uma democracia de direito não são, ou, então, estaremos no pior dos mundos.

Estupidez
Circula uma estupidez de uma notória pena de aluguel. Supostamente indignado, o rapaz acusa o governador de ser um beneficiário do cartel e, ao mesmo tempo, de processar a Siemens. Ah, entendi: então Alckmin estaria recorrendo à Justiça para punir uma parceira sua…

É de uma delinquência sem limites, só explicável, mas não aceitável, porque se trata, afinal de contas, de campanha eleitoral antecipada para, como disse Lula, “Alexandre Padilha entrar no jogo”.

 

Por Reinaldo Azevedo

Acompanhe o Blog do Reinaldo Azevedo 

Deixe seu Comentário