Ações da Eletrobras sobem mais de 16% e Bovespa fecha em alta

Ibovespa subiu 0,57% na sessão, a 56.352 pontos.
Índice caiu 1,87% no mês e tem pior 1º trimestre em 18 anos.

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) avançou nesta quinta-feira (28), apoiada no salto das ações da estatal de energia Eletrobras, mas amargou seu pior desempenho para um primeiro trimestre em 18 anos.

O Ibovespa subiu 0,57% na sessão, a 56.352 pontos, no terceiro pregão seguido de alta.

Apesar do alívio recente, o índice acumulou queda de 1,87% em março e de 7,55% no trimestre, no pior resultado para os três primeiros meses de um ano desde 1995, segundo a agência Reuters.

As ações da Eletrobras tiveram a maior alta diária em quase 4 meses, após a estatal de energia manter o pagamento de dividendos, apesar de ter amargado prejuízo histórico no quarto trimestre. A ação preferencial classe B da Eletrobras saltou 16,19%, enquanto a ordinária teve alta de 11,84%.

A Eletrobras informou nesta quinta ter registrado prejuízo líquido de R$ 10,5 bilhões no quarto trimestre, encerrando 2012 com resultado negativo de R$ 6,9 bilhões, pressionada por uma série de perdas bilionárias que incluíram a renovação das concessões de energia decidida pelo governo no ano passado.

Destaques do dia
As blue chips fecharam o último pregão do mês em queda. A preferencial da Vale caiu 1,16%; a da Petrobras cedeu 0,38%. OGX perdeu 3,35%.

Marfrig liderou as perdas do Ibovespa, caindo 5,17%. O prejuízo da empresa de alimentos se aprofundou no quarto trimestre de 2012, para R$ 284,2 milhões.

O giro financeiro da Bovespa nesta véspera de feriado foi de R$ 6,96 bilhões, abaixo da média diária de R$ 7,5 bilhões em 2013.

A desconfiança do mercado com as perspectivas para as companhias do grupo EBX, de Eike, levaram a petrolífera OGX a amargar queda de 47,3% no trimestre e a mineradora MMX a afundar 50,3% no período.

Já a preferencial da Vale acumulou queda de 18,7% no trimestre, em meio à disputa com o governo sobre o pagamento de R$ 4 bilhões em royalties.

Os papeís da Marfrig lideraram as baixas do dia, com queda de 5,17%, segundo dados preliminares, após a companhia ter registrado prejuízo líquido de R$ 284,2 milhões no último trimestre de 2012.

No exterior, o dia foi positivo para os principais mercados acionários globais, na medida em que os bancos em Chipre reabriam de modo relativamente calmo após o controverso resgate para a ilha.

 

Fonte: G1

Deixe seu Comentário