‘A vida fica muito ruim sem caipirinha’, diz Dilma

‘A vida fica muito ruim sem caipirinha’, diz Dilma

Presidente Dilma Roussef brinda com o presidente mexicano, Peña Nieto, em sua primeira visita de Estado à Cidade do México(Marco Ugarte/AP)
Presidente Dilma Roussef brinda com o presidente mexicano, Peña Nieto, em sua primeira visita de Estado à Cidade do México(Marco Ugarte/AP)

Dez quilos mais magra, a presidente Dilma Rousseff comentou os benefícios da dieta que aderiu, mas também se queixou das restrições durante entrevista nesta quarta-feira, no México: “A vida fica muito ruim com abstinência total de bebidas alcoólicas”. E revelou sua predileção: “Como eu poderia, originária do nosso país, defender que não se pode tomar uma caipirinha? Faz parte da saúde também, a alegria”, brincou. Em discurso no Palácio Nacional, Dilma elegeu a tequila e a cachaça como símbolos da relação entre o Brasil e o México. As duas bebidas foram usadas nos brindes oficiais que ela ofereceu ao presidente mexicano, Enrique Peña Nieto. Mas no caso da brasileira, a cachaça estava diluída em uma caipirinha. (Com Estadão Conteúdo)

Deixe seu Comentário